terça-feira, janeiro 27, 2015

"VENTOS DO APOCALIPSE" - PAULINA CHIZIANE

"Ventos do Apocalipse" é um dos primeiros livros da escritora moçambicana Paulina Chiziane e baseia-se na dura realidade da guerra  e nas próprias vivências da autora nessa área.

É mais uma estória contada do que um romance  do género a que estamos habituados, mas muito  agradável de ler.

Para quem , como eu, não está familiarizado com África é interessante porque nos dá a conhecer alguma coisa da sua cultura  e abordagem do mundo.

O livro centra-se no êxodo de uma população obrigada a abandonar a sua terra após violento ataque armado e narra a sofrida caminhada de dias e dias até chegar ao sítio onde pretende recomeçar uma vida que jamais será igual.

Foi o primeiro livro que li de Paulina Chiziane , mas não o último.

Deixo-vos dois excertos:

- "Cumpriu-se  o vaticínio dos deuses, a predição dos antigos. Do pó te fizeram homem. Enterrado nas entranhas da terra ao pó voltarás. Somos agora cacos da bilha partida donde a água se espalhou e regou a terra."

 - " As imagens de horror testemunhadas por aquele povo naquela tarde reduziram ainda mais o moral dos viajantes.O ser humano habitua-se a tudo, dizem. Mas mentem. Com o sofrimento constante ninguém se irmana, ninguém se conforma. Mesmo no braseiro do inferno os condenados suspiram por um instante de paz.O sofrimento é milenar na história do homem negro e este jamais se conformou. Faz guerras. Revoluções. Luta."

24 comentários:

  1. Confesso que nunca li nada da autora :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimente, acho que gostará :)

      Eliminar
  2. Gostaria de ler. Veremos se é possível.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se estiver realmente interessda, posso emprestá-lo...

      Bons sonhos e as melhoras definitivas :)

      Eliminar
  3. Não conheço nada dessa escritora, confesso. Mas atraem-me pouco registos de guerra - talvez por cobardia, sei lá! Ou defesa ou não sei...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paulina tem romances com outros temas e que quero ler um desses.

      Também não me atrai muito a guerra, mas penso que devemos saber o que pensa o outro lado...

      Bons sonhos :)

      Eliminar
  4. Completamente desconhecida, para mim. Parece-me bastante interessante. beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não quiser um tema tão pesado, a escritora tem romances mais recentes com outra temática.

      Beijinhos, Mina :)

      Eliminar
  5. Muito pior estamos nós, a marchar contra os canhões marchar.

    boa semana e que Sócrates não faça que perturbe o bom momento da economia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, sim , que Sócrates não respire sequer !!

      Estamos sob a pata de criaturas mesquinhas e rancorosas que tudo estão a fazer para destruir Portugal , pois são as ungidas , as escolhidas, as luminárias, as o-raio-que-as-parta!!

      Porém o "bom povo português" tem uma parte em si de idiotas perfeitamente encantados com a situação !

      Bom serão

      Eliminar
  6. ~ Anotei.
    ~ Ler esta escritora constitui o pouco que podemos fazer para homenagear tanto sofrimento de povos que são vitimas dos grandes predadores da humanidade - os insaciáveis de poder.

    ~ ~ ~ Abraço amigo. ~ ~ ~
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, totalmente!

      Foi nessa linha de raciocínio que visitei vários campos de concentração , estando duas vezes no de Auschwitz-Birkenau( sobre o qual fiz o mais recente post no "SÃO").

      Beijinhos amigos, Majo.

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Grato abraço, se ler espero que lhe agrade !

      Eliminar
  8. Nunca havia lido nada da Autora.
    O segundo excerto, ela mostra sobriedade na linguagem. Como dizes: como um relato de Vida.



    Beijos



    SOL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu conheci-a há pouco tempo , porque a RTP-Memória está a repetir "Por Outro Lado", programa de entrevistas de Ana Sousa Dias.

      Abraço grande :)

      Eliminar
  9. Olá, São!

    Sobre essses tempos de guerra, deles e nossos, muito ainda haverá para escrever.Não conheço a autora, mas pela amostra promete.Pode ser que calhe, ainda que esteja preguiçoso para livros...

    Abraço amigo
    Vitor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vindo!

      Acho que é muito interessane - e justi também . sabermos como o outro lado, principalmente as vítimas, viram a situação ...

      Vai lendo devagarinho, rrss

      Grande abraço de matar saudades , Vítor ! :) :)

      Eliminar
  10. Nunca li nada dela e, devo confessar, nunca tinha ouvido o seu nome ( falha minha, obviamente) Agora, porém, deixaste-me com "a pulga atrás da orelha". Na segunda segunda feira de Fevereiro, vou à Bertrand.
    Resto de bom dia e boas leituras, amiga

    ResponderEliminar
  11. Também o ouvi recentemente.

    O nome moçambicano mais conhecido é o de Mia Couto, não é?...

    Amigo meu, obrigada e te desejo o mesmo :)

    ResponderEliminar
  12. Nunca li nada da autora e não sei se o chegarei a fazer. Há tantos livros à minha espera!
    Mas gostei desta tua partilha. Desperta a vontade de ler!
    Apreciei ambos os excertos, destacando o segundo porque me vejo irmanada neste pensar. Lutar, seja por qual processo for, é propriedade do Homem sofrido.
    Bjo, amiga

    ResponderEliminar
  13. Escolhi precisamente o segundo por essa comunhão de sentimentos. O ser humano nunca deixa de lutar.Pelo menos, de aspirar a algo melhor

    Ai, também eu tenho uma lista de livros pacientemente aguardando , rrss

    beijinhos, amiga

    ResponderEliminar

"BENVEGUT AQUÈL QUE NOS VEN MANS DEBÈRTAS"
(Saudação Cátara)

Arquivo do blogue