segunda-feira, junho 16, 2008

A MARIA ELVIRA CARVALHO


Para um bom começo de semana, deixo-vos um poema de uma mulher , cuja poesia admiro há mais de vinte e cinco anos.
O seu interessante SEXTA-FEIRA tem o link nas minhas Netamizades, aí ao lado.


Este poema tenho-o guardado desde o tempo em que ambas enviávamos o que escrevíamos para uma revista onde a jornalista Maria João Duarte tinha uma interessante rubrica, publicando generosamente textos de gente ainda muito jovem.


Além da sua qualidade intrínseca, mantém-se completamente actual ( infelizmente).


Com a sua publicação, quero também sinalizar uma amizade já longa.


O mais difícil

hoje

não é sonhar

Ainda que

o sonho

seja

pérola negra

aprisionada

na ostra

do quotidiano


O mais difícil hoje é inventar a Vida

no espaço agónico da sobrevivência.


Uma semana em que vivam e não apenas sobrevivam, é o que vos desejo!

36 comentários:

  1. Parece que a vida pára ou paira algures.

    Deixei-lhe no "inséte", não uma rosa com espinhos, mas algo espinhoso que gostaria que aceitasse.

    É do meu quintal e nem acredito que consegui fazer aquilo.
    É artesanato.
    Aceite-o como dum prelista se tratasse.
    Só que a escrita é fotográfica.
    Fico imensamente grato.

    ResponderEliminar
  2. Amigas; Elvira e São:
    Um poema decorado com uma sensibilidade pura e terna. Encantador.
    Pleno de beleza e encanto.
    Os meus sinceros parabéns.
    Um "presente" maravilhoso aqui.
    Beijinhos de admiração às duas.
    Muita amizade, pureza e bem-estar são os meus desejos para vocês, pelo encanto e admiração que nutro pelo que fazem e constróiem carinhosamente

    pena

    ResponderEliminar
  3. Un fermoso poema e unha máis que fermosa amistade, unha das mellores cousas que nos da a vida.

    Un saúdo.

    ResponderEliminar
  4. São, quase caí para o lado com a surpresa. Infelizmente para todos nós, a grande maioria do que escrevi nos anos, setenta e oitenta, podem ser republicados agora com a data actual. Aliás isso mesmo já fiz no Sexta com alguns.
    Obrigada pela surpresa, e principalmente obrigada pela sua amizade,com que me honra há muito.
    Ontem mesmo a propósito do aniversário da morte de Almada, peguei num livro dele para dar uma relida, e o livro tinha uma dedicatória sua. Há cada coincidência...
    Um abraço

    À margem: A propósito, sabe que descobri o Maçarico, nosso antigo amigo do mesmo espaço? Pois é também está nos blogues.

    ResponderEliminar
  5. Sem dúvida um poema maravilhoso.

    Os meus sinceros parabéns à Elvira...

    beijinhos para ti

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. *
    vou cuscar
    ,
    obrigado
    ,
    conchinhas
    ,
    *

    ResponderEliminar
  8. qué bello texto para comenzar la semana

    ResponderEliminar
  9. Desde luego, que dificil se hace sobrevivir en algunas circunstancias. Palabras de realidad en este bello poema.
    Gracias por tu visita y tu comentario en nuestra casa.
    Saludos cordiales.
    Jesus

    ResponderEliminar
  10. São

    Tenho o privilégio de ter a Elvira como uma amiga. Licenciada na escola da vida, é uma mulher como há poucas com uma história feita de dificuldades e que, apesar disso, nunca deixou de auxiliar quem dela precisa. Em todos os aspectos.

    Este poema é lindíssimo e actual.
    Permita-me que daqui envie à minha amiga Elvira um grande beijinho.

    Tenho orgulho em tê-la como amiga.
    Para ambas deixo um abraço fraterno.

    ResponderEliminar
  11. Um grande abraço às duas! A ti que nos deste a conhecer este belo poema, à Elvira que nos honra com a sua amizade! Beijos...

    ResponderEliminar
  12. no hay nada mejor en este mundo que una buena amistad, el poema es
    sencillo, y muy bonito. me gusta mucho
    saluditos

    ResponderEliminar
  13. Amiga
    Pequeno poema, imenso conteúdo, grande significado,apoesia é a arte de dizer muito com poucas palavras.
    Obrigado pela partilha.
    Abraço

    ResponderEliminar
  14. Tenho lá, no meu "inséte", uma coisa que gostava que aceitasse.
    Quando conseguir passar por aqueles lados, recolha-o.
    É com gratidão.

    ResponderEliminar
  15. Nossa, minha amiga linda, não é que o poema retrata a realidade? Poxa como é difícil inventar a vida...
    Boa semana! Beijos

    ResponderEliminar
  16. XISTOSA
    Quem fica muito grata por merecer ser distinguida por uma pessoa como aquela que o José me parece ser, sou eu!!
    E parabéns pela obra de arte que aquele cacto é!
    Bem haja!

    ResponderEliminar
  17. PENA
    Como posso agradecer os seus generosos comentários?!
    Por mim e pela nossa cara amiga Elvira, o meu abraço fraterno!

    ResponderEliminar
  18. SILVANA
    Tens razão, mesmo.
    Apertas.

    ResponderEliminar
  19. A honra é mútua.
    Desgraçadamente existem textos de séculos que podem ser publicados com data de hoje: a carta de D. Pedro enviada de Bruges a D. Duarte, é um exemplo.

    Luís Filipe Maçarico ?...
    Eu sou muito má a fixar nomes, mas acho que não estou a errar.
    Não não sabia nada dele.
    Quem encontrei , também desse tempo, foi Manuela Fonseca: tem ideia?

    Fique bem!

    ResponderEliminar
  20. ISABEL F
    De regresso?...Espero que as férias tenham sido como as sonhaste!
    Fica bem.

    ResponderEliminar
  21. POETA EU SOU
    Fazes bem, acho que vais gostar...
    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  22. PEDRO OJEDA ESCUDERO
    Que bom teres apreciado!
    Fica bem.

    ResponderEliminar
  23. JESUS Y ENCRANA
    Belo texto, não é?
    Nada a agradecer!
    Felis semana.

    ResponderEliminar
  24. AQUI
    Quando trabalhei no Alfeite, estive sujeita ao Regimento Disciplinar Militar : porque razão estaria interessada em regressar à Marinha?!...

    ResponderEliminar
  25. SOPHIAMAR
    Daqui pode enviar tudo quanto queira de bom a quem entender...
    A Elvira é alguém que , até agora, sempre correspondeu ao que eu penso dela, isto é, que é uma pessoa digna.
    Agradeço e retribuo o abraço.

    ResponderEliminar
  26. AMIGONA
    Obrigada!
    Beijinhos a ti e à princesa.

    ResponderEliminar
  27. JUANI LOPES
    A simplicidade é sempre bonita, não é?
    E a amizade é algo que vale a pena, claro.
    Saludos.

    ResponderEliminar
  28. POESIA NO POPULAR
    Estou de pleno acordo.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  29. XISTOSA
    O seu generoso presente, que nem imagina quanto bem me fez, já está na barra lateral de meu espaço.
    MUITO OBRIGADA!!
    Bem haja!

    ResponderEliminar
  30. OLHOS DE MEL
    Muito complicado inventar a vida, tem razão!
    Ainda mais quando os poderes económicos avassalam tudo!!
    Beijinhos, Lúcia.

    ResponderEliminar
  31. Parabéns às duas.

    LUIZ

    ResponderEliminar
  32. Exactamente o Luis Filipe Maçarico.
    Deixo-lhe aqui o endereço dum dos seus blogues
    http://aguasdosul.blogspot.com/
    Da Manuela, peço desculpa mas não me lembro.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  33. Obrigada pela informação: lá irei.
    Eu da Manuela também não me lembro: ela é tinha memória da maneira como eu escrevia os poemas.
    Se quiser espreitar, está nas Netamizades.
    Fique bem.

    ResponderEliminar
  34. O poema pode ser antigo, mas continua atual. Preocupante, não?
    Bjos

    ResponderEliminar
  35. Bem angustiante, linda!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar

"BENVEGUT AQUÈL QUE NOS VEN MANS DEBÈRTAS"
(Saudação Cátara)

Arquivo do blogue