quinta-feira, novembro 22, 2007

VIOLÊNCIA DE GÉNERO

Olá!

Venho hoje falar-vos de violência de género. Que em Espanha já vitimou, só desde o início de 2007, sessenta e oito mulheres!! Em Portugal, como de costume, não há números, não há estudos, não há nada...

Assisti ontem no canal de televisão da Andaluzia a um debate sobre o tema da violência doméstica, que se abate particularmente sobre a mulher, e que pode ser de vária ordem : física, económica, psicológica...

O motivo próximo foi o assassinato à facada de uma rapariga russa de 30 anos, que tinha estado com o confirmado maltratante e presumível assassino no programa " El Diário de Patrícia" da Antena 3 , dois ou três dias antes de ser morta ( deixando orfã uma criança de dois anos).

O painel foi constituído por :
>Angela Garcia ( médica nas Urgências de um hospital em Córdoba)
>Pilar Troncoso (advogada)
> José Maria Mendiluce (escritor , com propostas para a igualdade)
>Miguel Lorente (advogado)
> Erick Pescador (sociólogo e membro de " Homens Para A Igualdade")
>Adela Utrera ( advogada da Proteccção às Mulheres, Málaga)
>Soledad Ruiz ( Directora do Instituto da Mulher , Andaluzia)
> Mercedes de La Merced ( Presidente de uma Instuição feminina)


Como podem imaginar, o debate foi muito interessante de seguir, até porque houve recolha de outras opiniões para lá das pessoas acima referidas.

As conclusões, sem divergência de maior, são de que :

* A denúncia é muito importante.

* O maltrante exibe comportamentos distintos em casa e em sociedade, enganando assim quem conhece o casal: é agressivo no lar e "um cavalheiro" fora.

* O agressor entende a mulher como propriedade sua, como um objecto.

* Existem mulheres dependentes afectivamente de quem as maltrata, dificultando assim (ou mesmo impedindo) o apoio que lhes possa ser prestado.

* As três religiões do Livro ( Islâmica, Judaica, Cristã) humilham e excluem a Mulher, diabolizando-a .

* A comunicação social não trata o assunto da melhor forma, fixando-se na morbidez dos pormenores violentos, além de se preocupar quase em exclusivo com as audiências.

* Não há muitos recursos de apoio às vítimas e suas crianças, quando estas existem.

* As penas são benévolas e com hipótese de saída antecipada por bom comportamento.

*A sociedade actual é machista, violenta e sem valores.

Ora como podem ver o panorama não é animador. No entanto, podemos tentar invertê-lo através da educação ( embora esta não seja tão determinante como afirmava Watson).

Violência doméstica sempre existiu, tal como abusos sobre crianças a nível sexual e outros. Só que , felizmente, as vítimas e a sociedade, em geral, começam a reagir.

Os agressores , por vezes, nem sequer têm capacidade empática para entenderem a gravidade dos seus actos : o terrível quadro de Frida Khalo que tive oportunidade de contemplar no Centro Cultural de Belém (Lisboa) foi inspirado na frase de um homem que, achando a sentença muito dura pelo assassínio da sua companheira, disse ao juiz: "Mas foram só umas facadinhas!!..."

E, convenhamos, alguns homens andam completamente desvairados com a perda do poder que durante milénios exerceram sem restrições sobre as mulheres!!

E há outra condicionante: o modelo que uma sociedade conservadora e uma religião misógina impõem ao próprio sexo masculino, ainda hoje.

Agradeço aqui, publicamente , ao meu caro amigo Desiderio Benito a sua postagem de denúncia e repúdio feita no seu blogue "Béjar, mis raíces lejanas".



Acabo com a seguinte proposta : que comemoremos o Dia Mundial Contra a Violência de Género (25 de Novembro ) com uma blogagem colectiva desta frase ( ou semelhante):


ABAIXO A VIOLÊNCIA DE GÉNERO: HUMANIDADE NÃO TEM SEXO!!


Desde já o meu agradecimento pela adesão!

131 comentários:

  1. Querida São
    O que me dizes é uma realidade que, infelizmente, continua a ter uma dimensão e expressão consideráveis. Colaborei com a Amnistia Internacional (secção das mulheres) e há situações que ultrapassam todos os limites.Também os relatóros do Apoio à Vítima são estarrecedores.
    Dia 25 juntarei o meu grito conforme sugeres.

    ResponderEliminar
  2. Obrigadíssima pela colaboração, minha linda!
    Tudo de bom para ti!
    Abraço grande!!

    ResponderEliminar
  3. Olá São,

    Podes contar comigo ...

    aliás faço sempre no dia 25 de Novembro um post sobre o assunto ...usando sempre um mesmo poema duma amiga minha, que para mim é uma das coisas mais expressivas escritas sobre o tema ... normalmente mudo somente a imagem ... este ano o Post terá o título que indicas...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Estas situações são revoltantes, quando se utiliza a força física para prejudicar os mais fracos fisicamente é uma baixeza inaceitável. E essa atitude violenta atinge mais as mulheres, não podemos negar. Todos nós devemos lutar para que esta vida escondida de sofrimento termine de uma vez por todas. Não é fácil, mas não podemos desistir. Aqui, na Madeira, essa realidade da violência doméstica atinge índices elevadíssimos e preocupantes.
    Hei-de participar no que for possível nesse grito revoltado como sugeres.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. E imagem? Têm uma imagem expressiva?

    ResponderEliminar
  7. QUINTARANTINO:
    Obrigada por ter vindo...e concretizemos a ideia, porque algo tem que ser feito, não é?
    Abrço.

    ResponderEliminar
  8. SILÊNCIO CULPADO:
    Imagem ainda não, mas não deve ser difícil. Em Ouro Cru tenho a foto de uma campanha contra a violência doméstica.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  9. Conta comigo. Confesso que tenho dificuldade em entender o porquê desta violência - acima de qualquer outra, excluindo a violência sobre crianças.

    Apesar de não ter dados que mo permitam afirmar categoricamente, julgo que a «violência de género», como referes, resulta de uma qualquer deficiência mental, associada - ou não - a eventuais deficiências físicas ou orgânicas.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  10. RUI CAETANO:
    Obrigada, amigo. A net tem que servir para algo mudar, não é?
    Abraço.

    ResponderEliminar
  11. ISABEL-F:
    Parabéns pela denúncia e obrigada pela colaboração.
    Espero sempre por ti!

    ResponderEliminar
  12. MONTECRISTO:
    Muito obrigada mais uma vez!
    Como sempre, estás do lado justo.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  13. Quanto à imagem ... tenho 3 imagens que se adaptam ao tema - podem ver por este link

    http://isabelfilipeartdesign.blogspot.com/search?q=viol%C3%AAncia+dom%C3%A9stica

    (desculpem mas não sei colocar links ... terão de copiar o enderço e colocar na barra de endereços)

    hoje é dia 22 ... não acho que arranje tempo para fazer uma nova imagem ... mas qualquer das que indico, se gostarem poderá ser usada por quem quiser.

    beijinhos

    ResponderEliminar
  14. São, a mulher foi conivente com essa violência por muito tempo, pelo silêncio, pelo medo. Quando não denunciava. Aqui no Brasil existem casos vergonhosos. E não só na pobreza, não! Felizmente, aos poucos, as mulheres estão aprendendo a se valorizar e a abrir mão do conforto e desligarem-se da opinião alheia e resolvem denunciar.Mas há muito por fazer.
    Abração.

    ResponderEliminar
  15. Conta comigo, São! Dia 25 de Nivembro, postarei conforme pedes.Esta é uma realidade, entre outras, que me deixa indignada. estarei ao teu lado e ao teu dispor.

    Beijinhosssss

    ResponderEliminar
  16. CLARICE:
    Obrigada por teres vindo.
    Reconheço que em certas situações há uma maléfica simbiose entre quem agride e quem sofre a agressão. Mas n´s estamos clamando por quem não tem realmente voz, não é?
    Abraço grande!

    ResponderEliminar
  17. Uma boa iniciativa.
    Há que denunciar todo o tipo de maus tratos.
    A ideia já cá mora.
    Aguardo desenvolvimento.
    Obrigado

    ResponderEliminar
  18. Olá São! Dia 25 conta comigo. Não vou estar no fim de semana. Mas quando chegar no domingo, associar-me-ei à tua corrente solidária para com as mulheres vítimas da violência doméstica. Um beijo.

    ResponderEliminar
  19. SOPHIAMAR:
    Obrigada pelo apoio!
    Podes contar comigo também!
    Abraaaço!

    ResponderEliminar
  20. REPÓRTER:
    Obrigada! É bom ver homens preocupados com esta perversão...
    Saudações!

    ResponderEliminar
  21. ISABEL_F:
    Obrigada, é disto que eu gosto!!
    Grande abraço, linda!

    ResponderEliminar
  22. Comigo nem preciso dizer que pode contar. É um problema que me aflige. Deixo-lhe aqui um post de um amigo sobre violência exercida sobre as mulheres também a nivel dos governos e sob a capa da religião.
    Do Jornal 24Horas de 17/11/2007, extraí esta noticia que passo a citar":

    Foi violada e ainda levou 200 chibatadas... é que o tribunal considera jovem de 19 anos uma adúltera...

    Um tribunal saudita condenou ontem a 200 chibatadas e seis meses de prisão, uma mulher que foi vitima de violação em grupo. Na base desta sentença está a acusação de que a mulher xiita, de 19 anos, terá infringido as leis de segregação sexual daquele país.

    Tendo sido violada 14 vezes por sete homens durante ataque de um gangue sunita à sua aldeia, na região leste do país, a mulher foi inicialmente condenada pelo tribunal islâmico a 90 chibatadas por violar as leis sauditas, que proíbem qualquer forma de associação entre homens e mulheres não relacionados entre si.

    Depois de considerar o castigo injusto, a jovem recorreu da sentença. Este facto terá desencadeado a ira dos juízes que julgaram o caso, que consideraram que a jovem recorreu aos meios de comunicação social para influenciar a decisão do tribunal. Assim, os juízes anunciaram que decidiram aumentar o número de chibatadas, condenando ainda a jovem a seis meses de prisão.

    FACTOS

    * Os homens responsáveis pela violação foram condenados pelo mesmo tribunal a 5 anos de prisão.
    * O advogado da vítima foi suspenso do caso, teve a respectiva licença confiscada e enfrenta agora um processo disciplinar

    O MEU COMENTÁRIO

    * Porque havia esta jovem de viver na Arábia Saudita?
    Para que vivia esta jovem naquela aldeia que foi atacada por aquele gangue?
    Porque tinham de ser sete os violadores?
    Por que raio recorreu esta jovem da primeira sentença?
    Para que terá recorrido a um advogado?
    Porque carga de água haviam de existir tribunais na Arábia Saudita?
    Porque havia esta jovem de ser mulher?
    Porque havia esta jovem de ter nascido?
    Porque havia esta jovem de ter 19 anos?
    Para que recorreu ela aos orgãos de comunicação social?
    Porque raio haveriam de existir orgãos de comunicção social na Arábia Saudita?
    Porque terão sido condenados os violadores?

    PORQUE RAIO DE MERDA TEM ESTE MUNDO DE SER ASSIM????

    Desculpem o calão! Mas tinha de ser!
    Continuo sem perceber porque pertenço eu a esta humanidade que tem no seu seio gente desta?
    Muitas perguntas sem resposta.
    José Gonçalves


    Publicada por Jose Gonçalves em Quarta-feira, Novembro 21, 2007 .

    Um abraço

    ResponderEliminar
  23. GRAÇA PIRES:
    Um grnde abraço de gratidão e votos de boa viagem...e melhor companhia!

    ResponderEliminar
  24. OUTONO DESCONHECIDO:
    Grata mesmo!
    Abraço para si!

    ResponderEliminar
  25. ELVIRA:
    Está a meu lado, como sempre soube que estaria.Agradeço-lhe!
    O post do nosso amigo comum José Gonçalves, eu comentei-o em Entre Montes e Vales.
    Para mim, parte da civilização islâmica retrocedeu ao nível da Idade Média europeia no seu declínio.
    Só que as diferenças entre ambas as civilizações na actualidade , salvas as devidas distâncias (nada de confusões), também não são tão fundas como deveriam ser!!
    Não será que a alienação das mulheres face a determinados comportamentos sexualmente discriminatórios é muito responsável?...Eu , sinceramente, considero que sim!!!
    Grandabraço!

    ResponderEliminar
  26. Pois uma imagem crua. Eu não sei ir pelo endereço da Isabel mas no "google imagens" escrevendo a palavra violência seguida de mulher temos uma série de opções.
    Eu alinho com a que decidirem. Também posso procurar mas depois ficamos com demasiadas opções que podem mais dificultar que facilitar.

    ResponderEliminar
  27. mar.aravel@netcabo.pt22/11/07, 19:20

    Todos os tipos de violência são

    repugnantes

    Dia 25 simbólicamente

    estarei consigo

    connosco.

    É PRECISO COMBATER A INDIFERENÇA

    ResponderEliminar
  28. OBVIAMENTE CONTRA O MACHISMO

    DAS BESTAS

    PELA DIGNIDADE HUMANA

    CONTRA OS TARTUFOS

    PELA IGUALDADE PLENA

    CONTRA O RACISMO

    SEMPRE NO LADO ESQUERDO DA VIDA

    OLHOS NOS OLHOS

    ResponderEliminar
  29. SILÊNCIO CULPADO:
    Fui dar resposta a tua casa!
    Por mim...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  30. MAR.ARÁVEL:
    Já lhe disse que gosto do nome? Pois gosto!
    Obrigada pela solidariedade!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  31. PUMA:
    Sim! Sempre no lado esquerdo da Vida contra injustiças, hipocrisias e afins!!
    É bom saber-te do mesmo lado!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  32. São

    Não costumo assinalar o dia de... porque para mim todos os dias são dias de....
    No entanto, e porque considero necessário dar um grito contra a violência, seja ela qual for, no dia 25 vou colocar no blogue o meu "grito" contra a violência. Não sei ainda como, mas vou.
    Porque sou contra TODOS os tipos de violência...

    Abraço

    ResponderEliminar
  33. SÃO
    Eu vou procurar uma imagem que todos possam pôr. A frase e a imagem têm que ser as mesmas para ter impacto. A mensagem tem que ser curta.
    É uma técnica de comunicação. Mas deixa que eu procuro e depois digo como se faz.

    ResponderEliminar
  34. Conta comigo amiga! No dia 25, naturalmente, mas também nos dias 26, 27, e todos os outros em que seja preciso denunciar a violência - seja ela qual for! Beijo...

    ResponderEliminar
  35. Amiga, vou já de seguida publicar no meu blog
    Saudações amigas

    ResponderEliminar
  36. Estimada São, impressiona-me a resposta a teu llamada. O povo português é um povo com alta sensibilidade, acabo-o de confirmar essa tarde.
    Estaremos todos o dia 25 fazendo pinha, e não somente o 25 que unicamente é um dia símbolo, a conscientização se faz necessária durante os 365 dias do ano.
    Penso também que denunciar este tipo de terrorismo é necessário, que os políticos que gerem os estados sejam conscientes do problema para legislar leis justas.
    E sobretudo, a educação nos lares, educando aos filhos em e respeito ao próximo e sem diferença de gero.

    Espero saibais desculpar minha forma de escritura em vosso belo idioma, faço-o mediante um tradutor espanhol-português, desgraçadamente não sei de outra maneira.

    Um forte abraço

    ResponderEliminar
  37. São

    Cá estou e como já saberias, podes contar comigo.
    Se quiseres podemos combinar a postagem por forma a que a mesma saia em todos aqueles que queiram aderir.
    Estarei atento e fico à espera de noticias.
    Um beijinho
    José Gonçalves

    ResponderEliminar
  38. É antes de tudo um problema de Educação (ou da falta dela.

    As religiões também são grandes responsáveis, porque são o "ópio do povo"; em qualquer delas, a Mulher é um prolongamento do corpo do Homem e recusam a mudança, porque sabem que a mesma traz sempre agarrada o tão temido vírus da contradição. Por isso, preferem fechar os olhos, assobiar para o lado e fingir que não se passa nada.
    Com disse o Reitor do novo Santuário de Fátima (Tenho um poste mais atrás intitulado: A obra Divina): "Existem diferentes tipos de agressão. É diferente dar um murro de semana a semana que dar um murro de 3 em 3 anos".

    Quem estiver perto de Fátima já sabe o que pode fazer: Visitá-lo de 3 em 3 anos e dar-lhe um murro nas trombas!!!

    ResponderEliminar
  39. Obrigado pela visita. Acho que os homens tem de respeitar as mulheres!

    ResponderEliminar
  40. Amiga Íntegra e Humana Colega de sonho, São:
    A Humanidade desde sempre foi e é constituída por Homens e Mulheres.
    Sempre os considerei iguais, iguaizinhos, nos seus direitos e deveres que lhes foram atribuídos.
    As diferenças físicas só enternecem e lhes dão um valor lindo e os faz atrair com encanto.
    Não consigo interiorizar, compreender ou entender as violências fisícas, psíquicas desumanas e brutais que acontecem no mundo de hoje.
    As mulheres completam os homens, os homens completam as mulheres.
    Não consigo discernir os actos selváticos sobre as doces, puras e, dotadas de uma enorme sensibilidade, que se cometem contra as mulheres.
    Porque o fazem? Porque a maltratam a todos os níveis? Porque fazem delas objecto de mero prazer?
    Eu não entendo, não consigo entender. Porque são mais frágeis? Porque são mais sensíveis e puras?
    Porque encantam só com a sua doce presença em todo o lado onde se encontram?
    Eu sinto-me horrorizado.
    Só actos cobardes, desenraizados de um valor pessoal, social e humano podem desencadear actos tão brutais de violência contra elas. Só de doentes. Só de gravemente enfermos ou mentecaptos sem escrúpulos, os podem efectuar. Não encontro outra explicação, acredite?
    Digo-lhe, sou homem muito homem, mas não consigo visualizar, mulheres sujeitas a todo o tipo de violência, agressividade e agressão de que são vítimas.
    Só de seres muito baixos, sem princípios ou valores de qualquer espécie poderão fazê-lo.
    Eu não entendo, não consigo conceber ou imaginar no meu sentir, ser e estar atitudes tão graves que deixam mazelas e marcas profundas sobre as lindas e ternas mulheres, sem a qual, viveríamos um mundo sem sentido e ilógico.
    Amiga São, tem todo o meu apoio e elogio desde já a sua iniciativa e a abordagem de um tema tão actual e pertinente em pleno séc. XXI.
    Beijinhos amigos de muita estima e uma grandiosa consideração.
    Força, porque vale imenso!
    O sempre aqui presente com delícia e encanto.

    pena

    ResponderEliminar
  41. São,

    deixei no Blog da Silêncio uma mensagem que tb é para ti


    beijinhos

    ResponderEliminar
  42. se não me esquecer e se no domingo estiver em casa irei postar com toda a certeza!

    ResponderEliminar
  43. Olá, São!
    Cá estou para colaborar no que entenderes que eu tenha alguma utilidade.
    Quanto ao texto, não digo palavra.

    "Resignação é a não evolução", esta frase é minha, por isso, não há outro autor. Se por acaso aparecer escrito por outro, o que cada um pode fazer, não lhe percas a origem: David Santos.

    Mas tanta conversa para quê?

    Bem, certo dia, estando eu a ler o meu "livrito" e a fumar o meu "cigarrito" sentado na mesa de um café, tive o azar de assistir a um marido que dava "educação" à esposa, como ela ficou um pouco amachucada, cheguei-me a ela e perguntei:

    Então isso agora fica assim?
    - que quer o senhor que eu faça!? - perguntou-me ela.
    Vá à polícia - disse eu - a senhora está muito maltratada.
    - oh, isto passa - já estou habituada.
    Mas a senhora não devia aceitar uma coisa destas - isto não são coisas de seres humanos!
    - ah, ele estando calmo até é boa pessoa.
    A resignação é a não evolução. - disse eu – e acabou a conversa.

    Pois é, amiga São. Penso ser por aqui que se deve começar avançar: contra a resignação.

    Mas conta comigo. Pois eu estarei disponível para combater esta porca vergonha. Não só a da resignação, como a crime, de facto.

    Parabéns

    ResponderEliminar
  44. Sumome moi gostoso a tua iniciativa ABAIXO A VIOLÊNCIA DE GÉNERO: HUMANIDADE NÃO TEM SEXO!!o domingo 25 e farei un post falando desta lacra de asesiños. As relixions consideran a muller como escrava do home. Eos programas como os de Patricia son unha vergoña.
    Ti sempre embarcada en causas fermosas e necesarias. Ti eres das persoas imprescindibles na sociedade.
    Parabéns, querida amiga.
    Um abraco

    ResponderEliminar
  45. Olá São, como era de prever, cá estou, pronto a solidarizar-me com este facto, portanto farei parte dessa blogagem colectiva.

    No entanto, envia-me um e-mail para não me esquecer da data, é que felizmente na minha familia não existe nem nunca existiu este trauma, e poderá me passar despercebido.

    è um flagelo em crescendo eu sei, mas nós estamos aqui para denunciar.

    ResponderEliminar
  46. FRANCIS:
    AH!AH!AH!
    Obrigada pelo apoio e continua com esse teu sentidi de humor, que eu aprecio tanto...
    Um grandabraço!!

    ResponderEliminar
  47. Iniciativa louvável. No entanto, estou certo que alguns dos que vão aderir vão escrever os textos aos bocados, porque terão de fazer intervalos para ir bater na esposa ou afim. Da minha parte, estarei completamente solidário com essa iniciativa, prometendo que esse dia será mais um em que não terei qualquer violência contra a minha jove, a acrescentar a todos os que temos vivido juntos.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  48. MARIA:
    Obrigada! Eu também não gosto muito de datas redondas, mas acho útil aproveitá-las, percebe?
    SILÊNCIO CULPADO Tratarà do"como", pois tem técnicas de comunicação, melhores do que as minhas pelo menos.

    ResponderEliminar
  49. Olá São,
    Cá vim à tua casinha como pediste.
    Cheguei há pouco do hospital onde a mãe fez substituição da válvula aórtica.Felizmente correu tudo bem, vamos ver estas primeiras horas. De qualquer forma e apesar de ontem estar muito cansada e algo agitada e de não ter andado estes dias na casa de todos, não deixei de vir aqui para me encaminhar para o blogue da Flávia e ir lendo os textos para melhor conhecer toda a situação e fui falando com a mãe.Também nunca deixo de passar pelo Salvador.Isto não quer dizer que não tenha espreitando todos os amigos, mas não tenho tido estes dias forças para ler tudo ou comentar.
    Mas, tudo correu bem, felizmente.
    Então conta comigo para mais esta causa.
    Dia 25 cá virei buscar esta máxima a favor das vítimas de género.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  50. Salve!
    Apenas através da educação se poderá mudar os modelos de pensamento. Só que essa educação peca por estar impregnada de tradicionalismo e preconceito.
    O modelo social tradicional, que ainda se arrasta no presente, sempre deixou ao encargo das mulheres a maior participação na formação e educação das crianças (futuros adultos). Pelo que me é dado observar a maioria das mulheres ainda assume e defende modelos de discriminação tradicional. Posso dar como exemplo a minha experiência pessoal: em oito anos que trabalhei numa loja de brinquedos as mulheres discriminavam, furiosamente até quando eu tentava orientá-las para propostas mais abertas, os tipos e modelos de brinquedos em função do sexo da criança. Sobre isso tenho inúmeros exemplos que poderia relatar.
    Todos queremos um mundo melhor e mais justo. Cabe a todos trabalhar e se empenhar na edificação desse mundo, TODOS OS DIAS E A TODA A HORA não apenas em datas facilmente esquecidas. Não basta vir para a rua abanar a bandeira do manifesto, exigindo a intervenção das autoridades e altas instâncias quando nós descuramos a nossa quota parte permanente no assunto.

    ManDrag oNegro

    ResponderEliminar
  51. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  52. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  53. São a hora dos teus comentários não está bem, no meu saiu 14h51m e eram 22h50m, logo todos os outros estão com horas erradas, aliás vi pelo que saiu logo a seguir ao meu.
    É só para te alertar.
    Bj

    ResponderEliminar
  54. SILÊNCIO CULPADO:
    òptimo!
    Graças!!
    Um grande beijo, querida!!

    ResponderEliminar
  55. Podes contar comigo, embora o meu blog não tenha lá grande visibilidade. Mas, o que importa de fato é que eu estarei participando de uma corrente tão humanitária e importante quanto esta. Se somente duas pessoas passarem por lá e se sensibilizarem, já terá sido grande coisa.
    Beijo grande

    ResponderEliminar
  56. BRANCAMAR:
    Ainda ben que tudo correu bem com a tua mãe!! Que Deus a acompanhe!!
    Obrigada pela presença!
    Beijos para ti e também para tua mãe, com votos de rápida convalescença!!

    ResponderEliminar
  57. Sao:
    Hola
    Justo hoy en la tv de pasaron sobre un programa de tv espa#ola en la que juntaron a un hombre que se presento como ex novio de una mujer (a la que llevaron enga#Ada al programa diciendole que la iban a juntar con un familiar de Rusia)
    El se acerco a ella,se arrodillo,le dijo que ella era todo para el y que por favor se casara con el.Ella baja la cabeza y dice que no(con cara de terror siempre)
    El a los 4 dias ,la mato
    Ella habia logrado dejarlo luego de varias situaciones violentas ,incluso el habia estado preso por eso.Un horror



    Sigamosluchado por Flavia

    ResponderEliminar
  58. PENA:
    Se todos os homens fossem iguais a si, como o mundo seria infinitamente melhor...
    Gratíssima, caríssimo!

    ResponderEliminar
  59. NÒMADA!
    Obrigada e a cas fica sua!
    Abraço!

    ResponderEliminar
  60. AMIGONA:
    Mereces o nome, linda!
    Gratíssima!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  61. C. VALENTE:
    É muito bom ter homens nesta luta.
    Agradeço-lhe!

    ResponderEliminar
  62. LA FLOR DE LA MAFIA:
    Poi é esse mesmo caso o que eu foco no post.
    Quanto a Flávia, estou à espera da decisão da sua mãe.
    Gracias y beso.

    ResponderEliminar
  63. DESI:
    És uma maravilha!!
    Não te preocupes muito com o idioma...e se quiseres escrever em castelhano, está à vontade.
    Muchas y muchas gracias.
    T´estimo!

    ResponderEliminar
  64. JOSÈ GONÇALVES:
    Estás comigo como, de facto, esperava!
    SILÊNCIO CULPADO PRONTIFICOU-SE VA TRATAR DISSO. Eu concordo que terá mais impacto mensagem igual em todos os bogues que alinharem.
    Abraço grande, amigo!.

    ResponderEliminar
  65. ADRIANEITES:
    Não deixe que o "SE" tenha muita força, não?
    Obrigada!

    ResponderEliminar
  66. Como é hábito tb participarei nessa campanha.

    ResponderEliminar
  67. ISABEL_F:
    Eu escrevo -te amanhã, sim?
    Abraço.

    ResponderEliminar
  68. LUMIFE:
    Muito grata pela colaboração!
    Saudações!

    ResponderEliminar
  69. E cá estou eu
    A nossa sociedade está longe de imaginar o que realmente se passa dentro das portas de muitos casais...
    Felizmente muitas mulheres já vão perdendo o medo e retaliam ou fazem a denuncia do respectivo...... mas a maior parte ,ou porque tem medo... ou porque pensa que será pior fazer a denuncia pois pode haver uma "presumivel vingança" ou até mesmo as ditas ameaças de vários tipos ainda se sujeitam...
    Minha Amiga...
    Dia 25 contigo estarei

    Beijo enorme
    (*)

    ResponderEliminar
  70. LETÌCIA GABAN:
    Concordo contigo e agredeço a tua colaboração!
    Abraço!

    ResponderEliminar
  71. MISS VADER:
    Obrigada pela presença!
    Abraços!

    ResponderEliminar
  72. BRANCAMAR:
    Já pedi a um amigo para acertar o relógio, mas isto não atina...peço desculpa!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  73. UM MOMENTO:
    Obrigada, amiga!
    Todas somos poucas e é bom contar contigo!
    Beijinhos!!

    ResponderEliminar
  74. DAVD SANTOS:
    Muito grata pelo apoio.
    Tenho uma situação ainda mais caricata: a agredida agrediu quem a defendeu!!

    Saudações!

    ResponderEliminar
  75. MANDRAG:
    Não vai ser só esta a tua forma de colaborar, pois não?...
    Kiss.

    ResponderEliminar
  76. RAFEIRO PERFUMADO:
    Obrigada pela presença. Folgo em que os homens estejam presentes.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  77. Se a saúde me deixar, junto-me a ti...

    Obrigada!

    ResponderEliminar
  78. Amiga, é a participação nesta blogagem que me solicitas? Se assim, for, tentarei atender-te... e de bom grado! O assunto é realmente sério.

    ResponderEliminar
  79. APÀTRIDA:
    Como esperava, estás presente do lado certo da luta.
    Agradeço seres meu amigo e as tuas palavras e apoio.
    Unha aperta bem grande!

    ResponderEliminar
  80. BEEZZ:
    Se souber como, envio o e-mail e grata pelo teu apoio, amigo!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  81. ALICE MATOS:
    Por ti e pelo tema, espero que consigas e que melhores!
    A minha gratidão pelo esforço!
    Beijo!

    ResponderEliminar
  82. ÁRABE:
    O que te peço é que a 25/11/2007 denuncies no teu blog a violência de género, que não se limita à violência domèstica...como é evidente!!
    Grata pela tua presença nesta luta!!

    ResponderEliminar
  83. Cá estarei a gritar contra essa aberração. Mas... como sou um esquecidão, avisa-me no dia anterior, se te lembrares, pf. A maior parte das vezes, quando dou por mim já passaram os dias. É o mal de me sentar aqui às tantas. Hábitos noturnos de quem já não trabalha :)))

    Bjjj

    ResponderEliminar
  84. Olá são

    Aqui no Brasil existem estatísticas de violência contra a mulher mas, como era de se esperar, a realidade é muito pior do que os dados mostram. Independente do país as mulheres ainda tem vergonha de denunciar o marido com medo da represália que a socidade possa dar.

    Felizmente as coisas começam a mudar, Aqui há delegacias especializadas no atendimento a violência doméstica, com pessoas treinadas para este tipo de situação. Infelizmente elas mudam lentas demais. É de uma dificuldade extrema mudar um pensamento tão arraigado na cultura que acabam se tornando normas comportamentais.

    De nada adianta ficar calada, entretanto. É preciso ter força para enfrentar uma sociedade hipócrita. Lamento que essa não seja uma opção factível para muitas.

    Au revoir

    ResponderEliminar
  85. Olá São,

    Violência de género... Também já escrevi sobre o tema e, penso que nunca é demais. Bem pelo contrário...
    Bem haja.
    Deixo-lhe um beijo amigo e informo-a que, no Querubim Peregrino, está um mimo para si.

    Maria Faia

    ResponderEliminar
  86. Tenho para ti, em minha casa uma lembrança que gostaria de te oferecer.
    Um abraço
    José Gonçalves

    ResponderEliminar
  87. Olá São!
    A sociedade e o mundo, em termos de respeito pelo semelhante, por valores morais, de respeito pela integridade fisica e intelectual até entre tantos que assumiram o compromisso matrimonial ou de união, de se respeitarem, amarem e se defenderem mutuamente, está uma "merda".
    Desculpa o termo.
    Mas é de parte a parte, e embora dê mais nas vistas que é o "macho" o mais violento, há "fémeas" que não lhes ficam atrás. E ainda "bem"!

    Mas é claro que vou procurar também dar um "murro" na mesa através do meu zemaiato.
    Nunca seremos demais.
    Devem haver mais e mais denúncias sempre que a violencia doméstica se verifique. A vitima, numa primeira fase nem precisa dar a cara para denunciar o agressor, pois deve ter pessoas amigas de inteira confiança que podem participar e denunciar o caso por si, com a indicação de receio a represálias.
    Vou tratar disso.
    Aqueles que se casam ou se juntam para viverem uma vida a dois, criarem ou não familia, não podem, nenhum deles, permitir que um se transforme num selvagem!

    Abraços

    ResponderEliminar
  88. Bom post.

    Infelizmente sou muito pouco solidário, prefiro a acção directa, mas aplaudo de pé todas as iniciativas como a tua.

    Parabéns e a melhor das sortes

    Beijo

    ResponderEliminar
  89. Em outros tempos, os homens nos tinham como parte do ativo imobilizado. O facto de serem mantedores do lar dava a eles "literalmente" esse direito. O mundo deu voltas, e a mulher se viu obrigada a sair de seu conforto submisso, assumiu parte da carga; muitas sustentam a casa sozinhas, mas a maioria doa homens ainda não se deu conta de que estão vivendo na idade da pedra. Culpar a quem? A sociedade? A própria familia? Que ainda cria seus filhos machos nos padrões ultrapassados com aquele velho estigma que tem força, quando deviam ensina-los a usar o diálogo, o amor e o respeito. Em todo lugar sempre tem aqueles que ainda acha que ser HOMEM é ter muque...

    Beijos

    ResponderEliminar
  90. Olá São, querida amiga, só agora cheguei aqui, vê as horas, 04 horas.
    Já respondi á SILÊNCIO CULPADO, e agora respondo a ti; Podem contar comigo...........Sempre.
    Muitos beijinhos,
    Fernandinha

    ResponderEliminar
  91. São!
    É triste constatarmos que o problema é mundial! Aqui não é diferente. Durante muito tempo os homens se safavam de qualquer condenação, no caso de assassinato, alegando violenta emoção(mataram por amor)! Surgiu, então, uma campanha "Quem ama não mata", que felizmente ajudou a modificar o entendimento judicial destes crimes! Hoje, existe uma outra lei, mais severa, para os casos de violência doméstica e graças a isso(e a inúmeras campanhas publicitárias) as mulheres estão criando coragem e denunciando os abusos! Bela luta, estamos juntos! Obrigado pela visita e estejas sempre à vontade...
    Beijos!

    ResponderEliminar
  92. Hoje distribuição de mimos aos amigos. Só não aceita quem não fôr amigo.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  93. São,

    Conta comigo, claro. Dia 25, domingo, estarei nessa luta.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  94. apoio totalmente esta causa, como muller, pero sobre todo como persoa...


    un saudo afectuoso

    ResponderEliminar
  95. Olá Sãp,

    Antes de mais obrigada pela visita e pelos parabéns!
    Em relação ao apelo concerteza que no dia 25 o BDK se associará :)

    Beijinho e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
  96. São, infelizemnte sempre houve e sempre haverá violência contra as mulheres porque as leis são feitas pelos homens. Aqui existe a Delegacia da Mulher que só atende estes casos. Ela foi criada porque quando uma mulher ia a uma delegacia comum dar queixa ela era debochada pelos guardas de plantão e tratada como se ela tivesse provocado a situação. Uma vergonha.

    beijos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  97. Na matemática tudo tem um resultado final. Na vida há situações e razões que elas próprias desconhecem o porquê.

    Conte comigo, Vou colocar no meu blogue, a partir de hoje e durante trÊs dias a frase por si escolhida.

    beijos

    Gil

    ResponderEliminar
  98. Mulheres que sofrem abusos são como os viciados em drogas e álcool, enquanto ela mesma não quiser se curar, nada vai conseguir fazê-lo. E acredito que essa seja a parte mais difícil, pois a maioria dos abusos não são denunciados.
    Season Drops estará contigo no dia 25.
    Bjos

    ResponderEliminar
  99. DIAS:
    Desculpe, mas não percebi essa da acção directa!!
    Será que vai entrar por arrombamento num apartamento onde uma mulher/uma criança está a ser espancada?!...É isso?...
    Agradeço os parabéns, mas ficaria mais grata se estivesse conosco!!
    Saudações!

    ResponderEliminar
  100. JG:
    Estamos na mesma situação.
    Vou tentar avisar quem me pedui.
    Obrigada pela presença!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  101. GWYDDYON:
    Obrigada pela vinda.
    Sim, no caso da violência doméstica a mulher por vezes é "cúmplice" do agressor, mas em outras situações como Jardim Gonçalves( membro da OPUS DEI) não aceitar mulheres no Banco que dirige e que perdoou milhões de euros a um filho seu,já não é.
    Saudações!

    ResponderEliminar
  102. MARIA FAIA:
    Agradeço a visita e, mais ainda, ter achado que mereço um mimo!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  103. JOSÉ FARIA:
    Agradeço muito as palavras e a preseça, concordo contigo. Daqui a uns tempos contarei uma história sobre isso...
    Abraços.

    ResponderEliminar
  104. JOSÉ Gonçalves:
    Lá irei...e obrigada desde agora, amigo!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  105. MENINA DO RIO:
    Obrigada por responderes, conto contigo.
    Há muito a fazer, comecemos por algum lado...
    Beijo.

    ResponderEliminar
  106. Fernanda:
    Obrigadíssima por estares do mesmo lado!
    Grande abraço, linda!

    ResponderEliminar
  107. PAULO VILMAR:
    É bom saber que há homens solidários contra esra cobardia!
    Muito obrigda!!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  108. ELVIRA: Já lá vou...e agradeço muito.
    Grandabraço!

    ResponderEliminar
  109. KARINA:
    Obrigada por estares deste lado, embora eu também ache que certas pessoas se acomodam...mas não só nesta situação.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  110. PITANGA:
    Pois, em Portugal é igual...
    Conto contigo!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  111. BERTA HELENA:
    Grata pelo apoio, linda!
    Abraço grande!

    ResponderEliminar
  112. Dia 25 poderás contar com o meu post!

    É de elementar justiça o que pedes!

    E é nosso dever lutar contra qq tipo de violência!

    Beijo

    ResponderEliminar
  113. KA:
    Agradeço poder contar com o apoio!
    Tudo de bom!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  114. MILONGA:
    Sim ,principalmente como pessoa temos de lutar contra a violência e todo o género de coisas hediondas a que assistimos!
    Graciñas!!

    ResponderEliminar
  115. GILBERTO LUÌS:
    Sabia que estaríamos do mesmo lado!! Muitíssimo obrigada!!
    Abraço bem grande!

    ResponderEliminar
  116. KAPIKUA:
    Muito e muito grata fico, pois importa ter homens deste lado!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  117. Olá
    Aqui estou, um pouco surpreso com o «tom» da msg e o que me pareceu um comentário/desabafo de desagrado.
    E reparo que eu devo ter uma «aura» negativa, pois nunca tive tantos comentadores nos meus posts que tratam deste assunto e não só.
    A visita está feita, o comentário escrito, voltarei com mais vagar e entretanto, qd e se quiser ou tiver tempo, deambule pelos meus blogs.
    Abraço
    VN

    ResponderEliminar
  118. Vim aqui pelo Vicente - Ecos da Verdade e estou contigo contra a Violência de Gênero.

    Tenho uma amiga vítima dessa violência, quantas vezes penso em lhe ajudar, mas as vezes me sinto impotente, já fui atá a delegacia com ela, mas pouco fazem para proteger a mulher. Na televisão não canso de ver casos absurdos, nesta semana no Blog Por entre montes e vales - do José Gonçalves, li sobre uma moça islâmica que foi estuprada e por este motivo foi condenada a 200 chibatadas e 6 meses de prisão. Não tenho palavras para isso.

    Conte comigo. Beijo!

    Geovanna

    ResponderEliminar
  119. GEO:
    Obrigada pelo apoio!
    Infelizmente, a Mulher continua sendo considerada abaixo de cão.
    O que dói mais, além das injustiças, é vermos algumas alienadas apoiarem quem nos desconsidera e humilha, como no caso do catolicismo,por exemplo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  120. VÍCTOR NOGUEIRA:
    Fui esclarecer o assunto em sua casa, porque fiquei sem saber se alinha...
    Saudações!

    ResponderEliminar
  121. Súmome a túa paetición,a mín denominar este violencia "de género"paréceme un eufemismo,esta é violencia dos homes(dalgúns)contra as mulleres,a educación machista,as igresias en tódalas súas crenzas,as desigualdades laborais, así como as oportunidades de atopar traballo son as culpables,así mesmo é necesaria unha concienciación ciudadana para a denuncia,todas e todos debemos denunciar este tipo de violencia e deixar de pensar que non nos atañe,que é cousa de outros.
    saúdos e obrigada.

    ResponderEliminar
  122. VERMELLA:
    Bem-vinda!
    Graciñas!

    ResponderEliminar
  123. Ainda venho a tempo e quero participar. Sem dúvida que há males que não têm explicação, às vezes a própria explicação é inexplicável. Sou contra todo o tipo de violência e já assisti a algumas nas suas formas variadas ao longo da minha vida. Abraços.

    ResponderEliminar
  124. Aqui estou de novo, São
    Isto é assim, no meu entender:
    1º - a violência dos detentores dos meios de produção sobre os não proprietário «livres»
    2ª - a violência por aqueles exercida através de todos os meios para manter os oprimidos/as alienados da sua força, condionando a sua consciência através dos órgãos de comunicação as Igrejas, os jornais, a rádio, a TV, a internet e por aí fora)e, em última instância, através de outros meios de repressão, como as leis ou costumes, os tribunais e a polícia, com ou sem brutais catrgas policiais (ou o emprego/desemprego/precariedade/trablho temporáro, à hora ou à peça).
    3º - A extrema violência que são a guerra, a concorrência, o individualismo, o isolamento das causas reais (de que esta guerra de sexos é exemplar) e o «isolamento» entre as pessoas e as visões parcelares.
    4 º A violência extrema iniciada oela Europa com os «descobrimentos/«encontros de culturas» sobre a maioria dos povos das Américas Central e do Sul, de África e da Ásia, após destruírem as suas economias para impor as relações de mercado capitalista, baseadas nas trocas desiguais, não esquecendo que o «mercado» é muito anterior ao aparecimento do «mercado capitalista»
    5º - A violência anterior é exercida sobre homens, mulheres, crianças e velhos/as, em todo o mundo e em todas as classes sociais
    6º A violência «fomentada» a coberto da xenofobia e do racismo
    7º - Reduzir a causa da violência sobre outros seres a motivações de âmbito psíquico é ver a árvore e não a floresta.
    8 º - A violência doméstica não se reduz àquela do homem sobre a mulher nem apenas ao seu aspecto físico. Há tb a violência psicológica e dentro da família também da mulher sobre o homem e de um deles ou de ambos sobre as crianças e destas, que não são o bom selvagem nem anjinhos de asas brancas sobre os pais.
    9. Nos locais de trabalho há tb outra forma de violência, o assédio sexual, que assume um aspecto mais gravoso para com as mulheres.
    8 - Ainda hoje quem educa as crianças são as mulheres, no sentido duma aparente «submissão» delas para controlarem o «homem»
    E por aqui me fico, por hoje.
    Síntese - sou contra a violência, mas não sou contra a violència para acabar com aquela necessária para liquidar as que acima referi. Tal como a burguesia proclamava noutro contexto em França em 1789/1793: «só não á liberdade para os inimigos da liberdade.
    E sobre o conceito e o conteúdo da Liberdade, muito se poderia explanar .
    .
    Oss meus blogs pretender ser quotidianamente e no seu conjunto o meu testemunho pela liberdade, pela igualdade, pela solidariedade, pela paz e pela justiça no Mundo. Quotidianamente os meus blogs defendem uma outra sociedade mas, curiosamente,aqueles em que tal assume o principal aspecto, são ignorados e muito pouco comentados. Refiro-me ao Kant_O_Ximpi e ao D'ali e d'aqui.
    Eles são. todos os dias, o 25 de Novembro que tu propões. Na badana lateral diireita do Kant_O estão alguns outros blogs que lutam por uma outra sociedade. Curiosamente, não têm frequências elevadas nem comentadores diversificados.
    O que poderia ser uma outra forma de reflexão.
    Mas para ser solidário e contra a violência doméstica - a única referida pelos/as comentadores/as anteriores, eu colocarei um post sobre o que sugeres, com este meu texto.
    Um bjo
    Victor Manuel
    Mesmo que este tivesse sido o 1º comentário ao teu post, muitos poucos dos comentadores seguintes nele reparariam. É a BLOGOSFERA.

    ResponderEliminar
  125. Tomei nota do seu pedido.
    Acontece que estas justas e
    louváveis iniciativas
    são canalizadas para o nosso blog colectivo lagospt.
    Já passou por lá?
    Desejo um bom fim de semana para si.

    ResponderEliminar
  126. 7 PECADOS MORTAIS:
    Bem vindo! Para ajudar, chega-se sempre a tempo.
    Grata pelo apoio!
    Bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  127. VIEIRA CALADO:
    As suas palavras significam que esse espaço se vai aliar a esta campanha?...
    Se sim, agradeço.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  128. VÍCTOR NOGUEIRA:
    Fico muito grata pela colaboração.
    No geral, estou de acordo com a tua análise.
    Se me permites, sugiro que visites MONTE CRISTO é 10º comentário.
    Penso que te encontrarás a gosto. Conheço-o pessoalmente e tive o prazer de colaborar durante anos no jornal de que era Director, alé de ele me dar a honra de escrever o prefácio do meu livro"Em Ouro Cru".
    Fico esperando que voltes sempre!

    ResponderEliminar

"BENVEGUT AQUÈL QUE NOS VEN MANS DEBÈRTAS"
(Saudação Cátara)

Arquivo do blogue