segunda-feira, outubro 06, 2014

POEMA - HERBERTO HELDER


há não sei quantos mil anos um canavial estremeceu na Assíria
e um douto poeta inscreveu esse tremor num curto poema lírico
lido agora por mim junto a um canavial nos subúrbios de Lisboa
e eu penso que os dois canaviais estremeceram igualmente
a tantos tempos e lugares de distância
e só se extinguirão devorados pelo fogo
quando o fogo devorar a terra inteira



HERBERTO HELDER
( "A Morte Sem Mestre")

38 comentários:

  1. Um exemplo da nossa universalidade como seres humanos, como partes integrantes do universo.

    Uma boa noite, querida São.

    Bj

    Olinda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Olinda, o Universo é realmente um Todo e fazemos parte desse Todo, por mais que algumas pessoas o neguem.

      Abraço forte :)

      Eliminar
  2. Se os olhares se voltassem para os que de fato é necessário ao bem do povo, muita coisa seria evitada.
    Bela escolha poética, amiga!
    Boa semana! Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida!

      Como será a escolha presidencial aí no Brasil? Espero que resulte no melhor para o povo, Lucinha!

      Tudo integra o Universo.

      Abraço com estima :)

      Eliminar
  3. É um poema forte... mas a foto eu fiquei extasiada... é maravilhosa...

    Beijos, São...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O poema mostra que tudo está interligado...sempre.

      Grato abraço por gostar da foto: Alentejo é sempre belo, sabe?

      Eliminar
  4. Repito as palavras do primeiro comentário - Olinda Melo.
    Os homens esquecem-se da sua universalidade como humanos neste mundo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente tenho que concordar convosco: pena que as pessoas se esqueça, de que fazem parte do Universo e que este é um Todo!!

      Eliminar
  5. Somos parte do todo...o Todo somos nós...estamos ligados como fios de um bordado delicado!!

    Simplesmente amo esse poeta filósofo...maravilhoso!!

    beijinhos, São...tenha uma semana bem bonita!!

    Lígia e =^.^=

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga, comntinuo a não conseguir comentar no seu blogue :ainda o mesmo post, eu sei .

      Tal e qual: somos fios de um mesmo delicado e maravilhoso bordado, uma imagem linda a sua!

      Lígia, meu bem, abraço com muito carinho lhe envio

      Eliminar
  6. Não sou grande fã da poesia do autor, confesso :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este livro desiludiu-me um pouco.Mas tem poemas raçmente bons.

      Fique bem

      Eliminar
  7. A foto é linda. O poema, confesso a minha ignorância, não me disse nada.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A uma pessoa com a sua sensibilidade, este poema nada lhe disse?..

      Estamos todos, segundo HH, ligados na universalidade .E eu concordo: somos parte do Todo.

      Grato abraço

      Eliminar
  8. A foto é linda e o poema não é de fácil leitura...
    mas quem percebe destas subtilezas...é uma maravilha!!!
    Sempre evoluindo no mundo das palavras...por aqui!!!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos em sintonia.

      Abraço reconhecido e amigo :)

      Eliminar
  9. Oi São
    Não é fácil fazer a leitura de tão profundos versos tão cheio de sutilezas e belezas.
    Um lindo dia para você
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A escrita que nos faz decifrar o que tem dentro é sempre agradável, não é?

      Abraço grande amigo :)

      Eliminar
  10. Olá, São!

    É denso o poema, e difícil chegar aos seu significado. Ainda assim, pelo tom carregado da escrita, diria que sabe a mau presságio...
    Lindo cenário, o da foto.

    Abraço amigo e boa semana.
    Vitor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parece que seja de mau presságio, amigo.

      Para mim, o poema significa que tudo está interligado no Universo, mau grado as distância de tempo e/ou físicas.

      Abraço amigo e boa semana, Vítor

      Eliminar
  11. ~
    ~ ~ FIquei com uma enorme curiosidade e, infelizmente, não vou poder comprar o tão bem apresentado livro de poesia, pois a edição é limitada e não deve chegar a terras do sul. Mas vou procurá-lo...

    ~ ~ A foto está belíssima! Nunca imaginei o Alentejo de um verde tão belo!

    ~ ~ ~ ~ Grande abraço e uma semana feliz e bem conseguida. ~ ~ ~ ~
    ~ ~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os livros dele dão sempre complicados de comprar: este encomendei-o antes de sair e foi , mesmo assim , um problema...

      Minha linda, obrigada pelo apreço,é por isso que eu digo sempre que o Alentejo é lindo sempre ...é só uma questão de o conhecer bem e estar atenta :)

      Que seja muito boa a tua semana , beijinhos

      Eliminar
  12. Herberto Helder lê-se e relê-se e é sempre uma escrita nova...
    Beijo, amigo, São.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, a sua escrita leva-nos a reflectir...

      Grande abraço, amiga :)

      Eliminar
  13. Andamos num estremecimento constante, São!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente, já passámos de estremecimento para pré-terramoto: Justiça, Saúde, Educação, Presidência da República -

      Um verdadeiro asco!!!!

      Abraço-te

      Eliminar
  14. Somos todos um num Todo? Linda foto e poema.
    Beijo*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos, sim!

      Grato beijo, amiga :)

      Eliminar
  15. Não é muito linear este poema do HH. Deixaste-me a pensar sobre ele e isso é muito bom.
    Um resto de dia feliz, amiga

    ResponderEliminar
  16. Estamos em sintonia: pensar é mesmo muito bom!

    Obrigada, igualmente, Carlos :)

    ResponderEliminar
  17. Canaviais como antigamente já não há, agora sacanas...
    :)
    Lindo!

    ResponderEliminar
  18. O que +e bom acaba, o que é mau prolifera, Rui...


    Grato abraço, :)

    ResponderEliminar
  19. Agora nós estremecemos mais do que os canaviais!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E pensar que estes ##&%» estão no resultado de eleições livres!!!!

      beijos

      Eliminar
  20. Herberto Herder é Herberto Helder: não se lê, pensa-se...
    Bjo, amiga :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, também o acho mais cerebral do que emocional.

      Querida Odete, grande abraço :)

      Eliminar
  21. O canavial hoje é uma ciclovia, espera-se que construam uma na Assíria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperemos que sim...

      Fica bem :)

      Eliminar

"BENVEGUT AQUÈL QUE NOS VEN MANS DEBÈRTAS"
(Saudação Cátara)

Arquivo do blogue