segunda-feira, outubro 27, 2014

POEMA - GRAÇA PIRES



Voraz é a fome que, em fúria,
devora os cardos onde o som do trigo
afunda o grito da escassez
que em volta da boca é ferida e dor.

Graça Pires, 2013

30 comentários:

  1. Obrigada, minha amiga, pela divulgação.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nada a agradecer, linda, mesmo nada !

      Abraço com estima :)

      Eliminar
  2. Voraz é a fome do homem por justiça... abafada pelas manobras dos corruptos...

    Beijos, querida São...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo totalmente, minha amiga, totalmente !

      Abraço apertado:)

      Eliminar
  3. Diz tanto em tão poucas palavras!
    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu gosto !

      Beijinhos, Lino :)

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Por vezes, aparecem poemas assim.

      Querida, grande abraço

      Eliminar
  5. Um excelente poema.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que concorda comigo.

      Abraço grato e tudo de bom . beijinhos à neta

      Eliminar
  6. ~ ~ Olá, São. Um "post" muito oportuno.

    ~ ~ À primeira vista, parece referir-se ao Alentejo.
    ~ ~ Alentejanos e andaluzes sabem fazer saborosas refeições com cardos.
    ~ ~ Aprendi com Saramago em "Levantados do Chão" que a época ano, de maior fome no Alentejo, era na altura em que o trigo ondeava crescido, como um mar verde...
    ~ ~ A farinha do ano anterior escasseava...

    ~ ~ Mas este poema refere-se ao flagelo atual que se vai agravar com as novas medidas a Troika. Ainda não consegui reagir a esta nova investida.

    ~ ~ ~ ~ ~ Abraço amigo, muito triste. ~ ~ ~ ~ ~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha família é toda do Baixo Alentejo e sei perfeitamente os dramas vividos naquela região, até porque assisti no largo à escolha de pessoas para trabalhar...e sei que na altura da II Guerra os mineiros andavam a pedir esmola em grupo .

      Nunca esquecerei a repressão brutal que se exercia sobre os camponeses , que culminou no assassinato a sangue frio de Catarina Eufémia, em Baleizão , ficando Carrajola impune.

      Infelizmente, a situação na actualidade é desesperada : um quinto das pessoas idosas não tem como comer!!


      Beijinhos angustiados, amiga


      Eliminar
  7. Definir fome num poema
    é trazer versos que fazem doer
    e enraivecer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo!

      E enfurece ainda mais porque se poderia evitar!!

      Eliminar
  8. Não há nada mais revoltante que um ser humano passar fome, São :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Além de revoltante, é algo que fere a dignidade da pessoa, Pedro!!

      Eliminar
  9. Falar em fome , mesmo em poema , ainda incomoda muita gente .
    Agradeço a partilha .

    Um abraço , São

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concotrdo contigo: é um tema que não agrada muito a ninguém

      Beijinhos, Maria

      Eliminar
  10. Um tema que causa sempre desconforto...só de saber da sua existência!!!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo, mas particularmente por sabermos que a fome é uma indignidade evitável!!

      Bom resto de dia, Maria da Graça

      Eliminar
  11. Olá, São!

    Os anos que vão passando, para além do "lado negativo" que o facto em si mesmo contém...servem ainda para levar a uma triste e desconsolada conclusão:A de que este mundo, no essencial não tem mudado assim tanto, apesar do muito "progresso e evolução".Pelo menos para alguns, que se contam por muitos e muitos milhões...

    Bonito e expressivo poema.

    Abraço amigo e obrigado pelos desejos de melhoras.
    Vitor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem vindo, amigo!

      Evolução, Vítor? Progresso? Para mim, o essencial, que é respeitar o ser humano , está em retrocesso e em grande velocidade!!

      E quantas vezes é que a Humanidade recomeçou?! Nem sequer temos hipótese de saber, mas basta olhar com olhos de ver as marcas que aí estão à nossa frente para perceber que a História não é a linha recta que nos apresentam nem nós somos o cume do saber!!

      Beijinhos amigos.

      Eliminar
  12. Já tinha lido e achei soberbo.
    A Graça Pires é uma das melhores poetas contemporâneas.
    Beijo, querida amiga São.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tal como tu!

      Querido amigo, grato abraço pela honra da tua presença aqui!

      Eliminar
  13. Li no seu blog e gostei muito. Poema muito forte e, infelizmente, muito atual.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada vez mais actual...com a pobreza e a miséria a aumentarem a olhos vistos e provocadas deliberadamente por Passos e seu bando!

      Abraço triste, Graça

      Eliminar
  14. São
    já tinha lido no espaço da Graçinha
    um poema forte e real.
    boa semana
    beijinho
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu , Nilson , Xavi e Graça integram um grupo de poetas que eu muito admiro e que muito me honram com a sua presença nos meus espaços !

      Obrigada, boa semana também para ti, Piedade

      Eliminar
  15. Magistral!
    Percebi que foi uma partilha. Acho que vou espreitar...
    Bjo, querida São :)

    ResponderEliminar
  16. A fome...uma mancha triste na passagem do ser humano nesse planeta!!

    Gostei imensamente dos versos da poetisa.

    beijinhos,

    Lígia e =^.^=

    ResponderEliminar

"BENVEGUT AQUÈL QUE NOS VEN MANS DEBÈRTAS"
(Saudação Cátara)

Arquivo do blogue