terça-feira, fevereiro 23, 2010

PARA JOSÉ AFONSO

JOSÉ   AFONSO
( 2/8/1929 - 23/2/1987)


Não deixem de ouvir"Canta, camarada, canta" porque não podemos deixar de lutar:



Contra o vento
Se levantou
O teu canto

Contra a dor
Levantaste
A vontade

Contra a luz
Que te corria
Nas veias
Se levantou
A dura Morte!

SÃO BANZA
( 22/2/20010)

38 comentários:

  1. Oi São.
    Não sei quem foi o José Afonso, mas percebo que se trata de alguém muito importante no universo dos teus afetos.
    Que ele esteja em paz e permaneça vivo na tua lembrança e no teu coração.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Olá São!
    Que a sua alma repouse em paz.
    Mereceu-o bem.

    ***
    Beijinhos*******

    ResponderEliminar
  4. Rosamarela se admira de alguém desconhecer a obra ímpar de quem foi o maior cantautor de língua portuguesa.Que esteja em bem, o nosso Zeca.

    ResponderEliminar
  5. José Afonso foi um lutador contra a didatura de Salazar e Caetano, sendo preso várias vezes pela PIDE ( polícia política).

    Acabou por ser expulso da carreira docente por intervenção de um padre católico, quando era meu professor no Liceu Nacional de Setúbal.

    Zeca, como é vulgarmente conhecido, revolucionou a canção de Coimbra e foi o maior cantautor de todos os tempos em Portugal, reconhecido inclusivamente no estrangeiro.

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  6. Concordo por inteiro: mereceu-o mesmo!

    Um grande abraço CILDEMER.

    ResponderEliminar
  7. En efecto, querida amiga, aun nos queda mucha lucha por delante.

    ResponderEliminar
  8. Tive o privilégio de em determinada altura da minha juventude, conviver com o GRANDE Zeca Afonso.

    Cresci e vivi a ouvir suas palavras (ensinamentos) em ritmos (canções) que jamais esquecerei.

    Por ele e por muitos como ele, e por todo os respeito que me merecem, pela atitude perante a ditadura e conquista da liberdade, eu não desisto de lutar.

    Ás vezes...as forças faltam, mas aí coloco uma música ou procuro um livro com poemas dele e volta outra vez aquela força que precisamos para ir em frente.

    Ele (e muitos) nunca desistiram.

    Tudo de bom

    Bem haja por esta lembrança.

    ResponderEliminar
  9. Há memórias que nunca morrem e pessoas que não esquecemos.
    Abraço do Zé

    ResponderEliminar
  10. Isto já não vai com cantigas, só se for com os Cannibal Corpse... :-))

    ResponderEliminar
  11. e quanti, querido PEDRO, e que dura ainda!

    Um excelnte dia para ti.

    ResponderEliminar
  12. Fico grata pela sua presença, pelo seu testemunho e por essa persistência.

    Bem haja, AFLORES!

    ResponderEliminar
  13. CARo ZÈ, graças a Deus, anda temos exemplos de pessoas dingas; Zeca é uma delas, embora não tão recordada como deveria ser às novas gerações.

    Um dia feliz

    ResponderEliminar
  14. Caro TÀXI acabei de sair de tua casa, embora não comentasse porque francamente só sei que concordo contigo!

    E , sim, tens razão a cantiga já não é uma arma, não!

    Um bom dia ´.

    ResponderEliminar
  15. canta camarada canta...
    sempre, minha querida xará!
    o zeca sempre uma memória de todos, lutadores ou nem por isso..., porque nós não deixamos passar em claro o nome e a obra deste homem português de garra imensaaaaaaa
    águas das fontes chorai... que eu não volto a cantar...
    bem hajas, querida xará
    beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  16. Fui conferir, São.
    Gostei.

    ResponderEliminar
  17. Bela homenagem, São!

    Beijo grande

    ResponderEliminar
  18. Obrigada por ter vindo recordar este HOMEM que uma vez mais, pelo sua sã conduta de ideais e ideias não foi em Portugal reconhecido como deveria ser... e sim fora dele.
    Ainda hoje recordo o apinhado de gentes que o acompanharam no seu último adeus.
    Quanto à sua partida...este ser é dos tais que nunca partem...serão sempre eternos seres que nunca serão esquecidos.
    A Luz do Alto, estará com ele só pode assim acontecer!
    Bjs.sinceros e um bem-haja mesmo.
    Mer

    ResponderEliminar
  19. Xará querida, a única maneira de o honraramos é mesmo e só não nos calarmos!

    Bem hajas, GAIVOTA!!

    ResponderEliminar
  20. Fico realmnete contente por teres gostado.
    Já agora, a Revolução dos Cravos teve como canção -senha de arranque na madrugada de 25 de Abril de 1974 "Grândola, Vila Morena" compsta por José Afonso.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  21. Retribuo o beijo, meu amigo. E viva Zeca!

    ResponderEliminar
  22. Minha querida MER, depreendo que estivemos juntas em Setúbal para o acompanharmos até à cova!

    Esse é um dia que jamais esquecerei, não!

    Bem haja!!

    ResponderEliminar
  23. Não o conhecia. Seu post me serviu para aprender um pouco mais.

    ResponderEliminar
  24. É maravilhoso encontrar pessoas assim como você, carissimo, que realmente se interessam!!

    Bem haja, mesmo, e que seja sempre feliz com sua amada!

    ResponderEliminar
  25. Querida São.
    Quem te disse que os homens não choram...Sou por natureza sentimentalista e, não podia deixar de me comover com tua lembrança sobre José Afonso. Os humildes, nunca morrem. Eles estão e estarão sempre entre nós. Foi um interventor, não foi um desertor nem um traidor. Não sei ainda se dou graças ao SENHOR por ter dado a Portugal tão ilustre e insigne personagem. Um Abraço .João

    ResponderEliminar
  26. Meu querido JOÃO, José Afonso é daquelas pessoas que merecem um enorme carinho por parte do país e que ainda o não receberam na medida justa!

    Bem hajas!

    ResponderEliminar
  27. Claro, meu carissimo amigo, só podemos cantar ...sempre!

    Um abraço grande, PUMA!

    ResponderEliminar
  28. Um gde senhor. Cresci a aouvi-lo:)
    beijinhos

    ResponderEliminar
  29. Pena não haver mais e maoir pema que os poucos a seguir-lhe a linha estrejam silenciados!

    Um abraço bem grande para si, minha linda, e para o Gui.

    ResponderEliminar
  30. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  31. Ao contrário de gente sem interesse que pulula por Portugal, Zeca é uma das pessoas que i engrandece.

    LUIZ

    ResponderEliminar
  32. E QUEM falou em deixar de lutar??!!!...

    Beijinho!

    Carlos

    ResponderEliminar
  33. Assumidamente, que eu saiba, ninguém!
    Mas...

    Tudo de bom.

    ResponderEliminar
  34. Será que as cantigas não estão já ultrapassadas?
    Têm sido tantas tretas, quero dizer letras e cantigas, que já não vamos com música.
    Nem mesmo a "pimba".
    O arrivismo só se cura com um arrocho e de marmeleiro, que é mais resistente.

    Uma boa semana e bem haja por recordar ... o seu professor!!!

    ResponderEliminar
  35. As cantigas penso que já não ajudam, não. Até poruqe só se ouve inglês ou Tony Carreira e descend~encia biológica opu de afinidade.

    Mas lutar, temos que lutar|

    Uma noite de sereno descanso

    ResponderEliminar
  36. Vejo este post já uns dias após o aniversário da morte de Zeca Afonso, as palavras já são escassas para classificar o homem e a obra...só a saudade!

    E para te dizer que...excelente poema escreveste amiga!

    Beijo

    ResponderEliminar
  37. Obrigada pelo apreço.

    De facto, Zeca deve ser sempre lembrado: pena é o silêncio que o cobre.
    Bem HAjas!

    ResponderEliminar

"BENVEGUT AQUÈL QUE NOS VEN MANS DEBÈRTAS"
(Saudação Cátara)

Arquivo do blogue