segunda-feira, julho 21, 2008

TRADIÇÕES E HIPOCRISIAS


Estou em estado de choque!!
Acreditem : não estou exagerando.
No Brasil, existem tribos como a Suruwaha, que, por tradição, enterram vivas as "crianças sem alma".
Estas crianças são, por exemplo, as que nascem com qualquer tipo de deficiência ou que resultam de relações incestuosas ou,ainda, são filhas de mães solteiras .
Estes infantícidios funcionam como rituais de salvação para as tribos praticantes.
Até aqui, eu consigo perceber o mecanismo da situação. Porque mesmo na população considerada mais civilizada ainda existem práticas cruéis e absurdas.
Tenhamos em conta a ablação do clitóris nos países muçulmanos e o aborto dos fetos femininos na Índia, só para exemplificar. E, já agora, os abusos sexuais e violência de que, principalmente, o sexo feminino é vítima nos países ocidentais.
O que eu não consigo perceber de modo algum é que esteja levantando grande polémica a Lei Mawaji, que visa impedir estes sacríficios humanos!!
Inclusivamente, o deputado Francisco Praciano está contra este tipo de legislação porque" a Declaração dos Direitos Humanos e a Constituição não têm valor nenhum para os índios"!!!
Há também quem alegue que este tipo de legislação é uma tremenda falta de respeito pela cultura índia e que, mais uma vez, se vai violentar a sua cultura e maneira de viver!!
Francamente, será que os defensores deste tipo de tradição índia estariam dispostos a voltar à tradição de serem queimados vivos nas fogueiras da Inquisição?!
Será que Francisco Praciano e simpatizantes serão capazes de aceitar a tradição de castrar os rapazes para manterem a voz própria da infância para delícia dos Papas e dos grandes senhores?!
Será que se descobrirem uma tribo que pratique canibalismo ritual só com pessoas brancas, também defenderão essa prática?...
Por acaso estariam tão preocupados com o manter das tradições índias, se elas afectassem directamente e de algum modo os seus próprios interesses?! Duvido!!
Estas atitudes são pura hipocrisia e , pior, são inqualificáveis do ponto de vista humano!
Ou será que consideram que ao contrário das nossas crianças, as crianças índias não são humanas ?! Será?!
Mas como é possível ainda haver dúvidas sobre a necessidade de acabar definitivamente com um hábito bárbaro como é o de enterrar viva uma criança?!
Em que mundo estamos nós, meu Deus?!
Deixo aqui o endereço onde podem obter mais informações sobre o tema:
Não posso acabar sem agradecer a M@celly , que me deu a informação acerca do assunto.
Boa semana.

62 comentários:

  1. *
    lula(s),
    só á sevilhana,
    prato gitano,
    ora . . . na moda . . .
    ,
    conchinhas (tristes),
    ,
    *

    ResponderEliminar
  2. Mais do que tristes.
    Também desapontadas, Nazareno...

    ResponderEliminar
  3. En efecto: hay una tendencia -defendida incluso desde el progresismo- a no intervenir en costumbres "ancestrales" de determinadas culturas aunque sean brutales, como las que cuentan. Sin embargo, cuando interesa, somos capaces de invadir un país por el petróleo.
    Somos hipócritas, muy hipócritas.

    ResponderEliminar
  4. Bem hipócritas e cínicos, meu amigo!
    Abrazos.

    ResponderEliminar
  5. São
    Eles agem pelas leis da Natureza, por exemploos pombos deixam morrer, os borrachos que nascem com deficiência, as coelhas que são surdas matam os filhos á nascença, é a lei da selva, se eles não exigirem nada á civilização, como parece ser o caso, deixai que sejam felizes assim, é outro mundo!
    A nós choca-nos, mas temos tantas crianças abandonadas em instituições, e vitimas de tantos oportunismos, e maos tratos, no fundo salvaguardando as distãncias não é grande a diferença, nós ficamos chocados, porque somos diferentes.
    Abraço amiga

    ResponderEliminar
  6. Afinal em quase tudo na vida começa a imperar a lei da selva, o individualismo e a falta de solidariedade. É só mais um exemplo.
    Cumps

    ResponderEliminar
  7. POESIA NO POPULAR
    Por isso eu não os censuro a eles, censuro sim a quem intervém pelo petróleo ou pela madeira e que permite o assassinato de crianças!
    Aliás, se a questão fosse a de adultos a suicidarem-se ou a praticarem ritos como a Dança do Sol nem me manifestaria ( pelo menos, em contrário), mas são crianças sem defesa a serem enterradas vivas!!
    Claro que também concordo contigo quando lamentas termos crianças abandonadas em instituições.
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  8. GUARDIÃO
    Estamos em franca regressão, pelos vistos.
    Saudações.

    ResponderEliminar
  9. Cara São,

    Um tema muito interessante e a exigir intervenção cívica, sem dúvida. A sociedade humana evoluiu desde um modo de vida primitivo, como o da tribo Suruwaha, até ao que conhecemos da civilização do terceiro milénio, tal como a vivemos em qualquer parte do mundo. Tem defeitos? Muitos, claro!
    Mas alguns textos legislativos, como a Declaração Universal dos Direitos do Homem, que Portugal subscreveu e anexou à própria Constituição da República Portuguesa, definem os direitos fundamentais de todo o cidadão de qualquer Estado do mundo civilizado.
    Estes índios, como outras tantas tribos existentes em todo o planeta, têm direitos que lhes devem ser transmitidos, como o do Direito à Vida. Têm também o direito e respectivo dever - chamemos-lhe também responsabilidade - de aprender a respeitá-los e fazê-los cumprir nas suas sociedades. O Homem civilizado tem o dever de agir, para proteger estas mesmas sociedades da sua eventual falta de respeito por estes direitos. Vamos deixá-los praticar o infanticídio? Nunca! Vamos deixá-los praticar o canibalismo? Nunca! Vamos deixá-los morrer à fome? Nunca!

    Um grande abraço anarquista

    ResponderEliminar
  10. Assino tudo quanto aqui me deste a alegria de deixar: muito grata te fico por essa cristalina clareza do direito à vida!
    Feliz semana, Jorge!

    ResponderEliminar
  11. Já aqui disse que não gosto de história ... logo hoje que fui pesquisar esta tribo e quando coloquei o comentário, o Blogger "broxou", como dizem os brasileiros.
    Tinha feito umas considerações, sobre as "civilizações", quer as praticam os abortos femininos, a ablação do clitóris e da "sociedade" dita civilizada, que viola estropia e mata criancinhas.
    Não é necessário ir ao Amazonas ou à Amazónia.

    A tribo tem cerca de 140 membros ... enterram as "crianças sem alma", mas provocam o seu suicídio, ingerindo uma bebida que fabricam, altamente tóxica.
    Tomam-na e vão morrer na casa comunitária.
    Fazem isto para entrar em contacto com os espíritos dos familiares que morreram ...

    O que vai fazer a civilização?
    Deixá-los viver felizes com as suas tradições, (parece-me que têm apoio médico, que a maioria rejeita), ou impor-lhes a lei do branco civilizado?

    São problemas de consciência, que nenhum deus será capaz de discernir com equidade ...

    Penso eu.

    ResponderEliminar
  12. Meu amigo, a informação que tenho é que enterram as crianças vivas ...o que não posso aceitar.
    Se praticam eutanásia, isto é, as envenenam fazendo com que morram sem sofrimento, bom isso altera a situação.
    "Broxou " é "falhou"?
    Feliz semana.

    ResponderEliminar
  13. santo deus!
    será só lá pelas tribos escondidas das selvas brasileiras...???
    beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Bem, até estou tonta, om o que li. Vou procurar saber mais, porque desconhecia. E mais nem digo, São.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  15. No Código Civil español (vixente) no art. 30 se dispón: "Para los efectos civiles, sólo se reputará nacido el feto que tuviere figura humana y viviere veinticuatro horas enteramente desprendido del seno materno". Hoxe en día, claro, non se aplica restrictivamente o asunto da figura humana, senón ...

    ResponderEliminar
  16. Problema cultural e civilizacional!?
    Para o mundo, dito, civilizado, primeiro deve-se "deixar morrer" ou "matam-se" as criancas e só depois se enterram.

    ResponderEliminar
  17. Salvé!
    Passei para conhecer quem seria a pessoa que foi escolhida para um determinado desafio.
    Quanto ao seu post...é terrível sim, mas já nada me choca, atendendo a outro tipo de coisas para as quais a maioria ainda não está akertada e se chama karma e outra coisa que se chama também evolução espiritual. Só estes dois estados respondem na perfeição o facto dessas crianças sofrerem na pele algo tão aterrador.

    Muito gosto em a conhecer
    MAriz

    ResponderEliminar
  18. Estamos privando nosso próprio povo do conhecimento, do esclarecimento.
    Mas qual é a novidade? Afinal, sempre tiramos tudo deles, não é mesmo?
    Deveríamos sim, proibir este tipo de coisa. Dançar para chover é uma coisa, agora enterrar vivo porque nasceu diferente é completamente outra.

    ResponderEliminar
  19. Es muy cierto el "progersismo" es absolutamente hipócrita.
    Como permitir estos abusos?.En nombre de que?
    Nada justifica estas atrocidades.
    Beijos, amiga

    ResponderEliminar
  20. Não envenenam as crianças.
    Enterram-nas vivas as que nascem com deficiências.
    Eles é que se suicidam, ingerindo uma bebida altamente tóxica que fabricam, para se encontrarem com a alma dos seus antepassados.
    Pelo que li, esta tribo não tem mais de 140 membros.
    Têm técnicos brasileiros que os visitam, mas dificilmente os aceitam.

    Não defendo a morte de inocentes, nem que seja um, (também não podem ser muitos, num total de 140 membros).

    Nem de propósito, deixo-lhe aqui um texto que vai ser corrigido para publicar do "ucometa":

    "Aos portugueses custou-nos sempre muito trabalho ser contemporâneos. Houve um tempo quando se queimava o que discutia o enigma geométrico que propõe a chamada Santíssima Trindade ou se proibia desviar o curso da História, já que isso poderia supor alterar os planos divinos. A conquista da racionalidade é muito lenta e não exclui o desampara dos seres humanos. Por que o aborto e a morte digna, suscitam tantas controvérsias? São duas questões, uma inicial e outra final, que devem estar submetidas a critérios e discutir-se serenamente. Não se trata de ser partidário do PS ou do PSD, mas sim em acreditar que a época em que nos tocou viver é nossa e não pertence aos ancestrais feiticeiros que impuseram os seus inamovíveis regulamentos. Quem pode discutir que temos direito a morrer com dignidade depois de termos atravessado tantas penalidades? Por que prolongar uma existência dolorosa e sem esperança de recuperação? Dizem que toda a vida humana é sagrada, para quem?, dizem …, mas ao que chamamos vida? Recordo os tempos, não tão remotos, onde uma banda entusiasta de altos clérigos, proibiu, debaixo de não sei que duros castigos de além-túmulo, aliviar os sofrimentos das criaturas afectadas por aquele medicamento chamado "Taladomida". Ao erro da farmacopeia uniu-se a Teologia, mais precisamente os intérpretes dessa misteriosa ciência. Nasceram crianças cegas e sem mãos, mas era necessário prolongar a sua vida, mais que não fosse para mostrar a nossa piedade. Agora debate-se se temos direito a morrer sem sofrimento, quando o desejamos e mais a mais seja a nossa última vontade. Não penso elogiar os políticos, que regra geral me parecem uma subespécie interessada, mas acredito que Sócrates deveria debater estas questões. Ânimo vizinho. A crise mais árdua não é a económica, mas sim a das sobrancelhas para cima. Que cabeça dura a deles … e a nossa."

    Não está corrigido!

    ResponderEliminar
  21. Talvez o Praciano devesse ser pregado na cruz e incinerado.
    Afinal, os inquisidores também são seres humanos e também têm direitos.

    ResponderEliminar
  22. Esta costumbre de estas tribus de Brasil, es realmente una barbaridad, algo horrible que no debiera ocurrir, pero sin pretender disculparlos, ellos viven aun en su propia sociedad, supuestamente no conocen otra cosa y lo hacen porque, (aunque sea un horrible ritual) es una tradición, una costumbre ancestral. Estaria de acuerdo que se tomaran medidas, si primero nos ocuparamos de acabar con todas las atrocidades que ocurren en nuestra "perfecta" sociedad civilizada que además de todo lo que tu has expuesto, provoca, por motivos económicos el empobrecimiento el hambre y el sufrimiento de muchos otros niños. Después de ésto podríamos "predicar con el ejemplo"
    Molts petonets Säo

    ResponderEliminar
  23. Oie linda! Infelizmente histórias como essa, o país anda cheio. Lamentável, porém real!
    Hoje tem festinha do meu afilhadinho, lá em casa e você é nossa convidada.
    Beijos

    ResponderEliminar
  24. Assuntos deste tipo, que não podem existir, devem ser tratados com pinças.
    Não são casos de polícia, mas sim de política.
    Muito diálogo até chegar ao auto-convencimento, é a minha receita.
    Os ditos mais civilizados, ainda há pouco tempo escondiam os seus deficientes dos demais... e hoje já não é assim...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  25. São, cultura é um assunto bem delicado. Crianças merecem defesa em qualquer instância. Para a cultura indígena(essa tribo) deve ser um processo natural, eu imagino. Assim como para certos povos que não desejam meninas e as colocam ao relento, no gelo, para morrerem. Assim como mães européias e americanas colocam filhos nas lixeiras e rios, por conta de preconceitos contra maternidade solteira ou outros tantos motivos.
    Todos esses chamados costumes ferem meu coração também. E o que dizer de governantes que promovem guerras e os matam nos colos de suas mães e pais? E das crianças de 3 e 4 anos que são vendidas para pescadores e mal sobrevivem á fome? Ou quebram pedras e cuidam de fogueiras aos 5 anos?
    Tanto por mudar!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  26. Salve!
    Vivemos tempos de extremos.
    Quem procura o que quer encontra o que não quer.
    A diferença é sempre motivo de choque, pois avaliamos sempre o que nos é novo pela comparação àquilo que já conhecemos e nos é familiar.
    O que me parece que se passa aí é um problema de neo-colonialismo. Afinal os colonizados (euro-brasileiros) passaram a colonizadores (dos índios-autóctones).
    E assim segue a História, ainda e sempre judaico-islâmica-cristã.
    Salutas!

    ResponderEliminar
  27. Estou contigo na revolta mas deixa-me dar-te um abraço para matar as saudades! Beijos querida...

    ResponderEliminar
  28. São, minha querida amiga

    Sempre tão culta e tão informada. O que descreves é brutal. Eu não conhecia mas todas as perguntas que fazes são pertinentes.


    Beijos

    ResponderEliminar
  29. Não tenho palavras para comentar semelhante barbaridade. Será que estamos no século XXI?

    ResponderEliminar
  30. Será a natureza humana intrinsecamente má? É difícil entender estas coisas.
    Um beijo São.

    ResponderEliminar
  31. Olá São

    Realmente a humanidade é chocante!

    Será que Deus tem algo a ver com isso?

    Ou será que a espécie humana não está dando certo?

    A propósito, veja em BOA LEITURA minha Aventura Amazônica há mais de 42 anos!!

    Beijo

    ResponderEliminar
  32. Olá São!
    Quase todos os dias somos confrontados com situações que pensávamos que não existiam em pleno século XXI, mas infelizmente não é assim.
    Esta é mais uma, as tradições são para ser quebradas quando são desumanas e cruéis, independentemente de quem as pratica.
    Esperemos que o bom senso impere... mas duvido muito.
    Tem um grande fim de semana.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  33. GAIBOTA
    Quem sabe?!...
    Feliz final de sem,ana.

    ResponderEliminar
  34. LÚCIA
    Também tive que ler tudo mais do que uma vez, quando soube...
    Bom final de semana.

    ResponderEliminar
  35. ISABEL SANTOS
    Concordo contigo e tenho as mesmas dúvidas, Isabel...
    Feliz final de semana.

    ResponderEliminar
  36. LUIZ SANTILLI JR
    Já fui ler e achei muito interessante a sua aventura.

    A responsabilidade é só nossa, acho!

    Feliz final de semana, meu caro.

    ResponderEliminar
  37. Olha, GRAÇA, os cátaros acreditavam que o Mundo tinha sido obra de um deus menor, perverso...eu quase já acho que têm razão, sabes?
    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  38. ESPAÇO DO JOÃO
    Mentalmente, estamos nos milénios da era do Gelo...
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  39. SILÊNCIO CULPADO:
    Minha querida Lídia, continuas generosa e eu agedeço-te por isso.
    Tão triste termos que levantar estas questões, não é?
    Um grande abraço.

    ResponderEliminar
  40. AMIGONA AVÓ E NETA PRINCESA
    Oh, minha querida, mas que alegria te encontrar aqui!!
    Espero que o teu fim de semana seja bom.

    ResponderEliminar
  41. MANDRAG
    Sim, desgraçadamente a tendência é copiar os erros.
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  42. CLARICE
    Foi por pensar que para essas tribos é natural que não as critico, mas acho que não podemos pactuar com um costume assim...
    Condeno muito mais as pessoas envolvidas nas outras situações que referes, porque estão integradas num outro tipo de cultura em que a vida humana, por exemplo, vale por si.
    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  43. NILSON BARCELLI
    Concordo: assuntos culturais devem ser tratados delicadamente.
    Aliás, sempre discordei do que foi feito - e ainda hoje é feito! - á cultura, só para dar um exemplo, dos índios norte-americanos.
    No entanto, há casos - como este- em que considero que não podemos deixar de intervir: trata-se de pessoas sem defesa!
    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  44. OLHOS DE MEL
    Minha querida, nós vemos um garoto tão lindo como o seu menino e ficamos ainda mais chocadas com o sofrimento infligido a tantas e tantas e tantas crianças pela Terra inteira!
    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  45. JESUS Y ENCARNA
    Percebo o teu ponto de vista,concordo que o exemplo é o melhor meio de educar.
    Mas , de qualquer modo, considero que este tipo de costume deve ser aniquilado.
    Feliz final de semana.

    ResponderEliminar
  46. FRANCIS
    Concordo!
    Fica bem!

    ResponderEliminar
  47. Meu caro XISTOSA, gostei do texto ( por corrigir ...rrss).
    Eu defendo que cada pessoa tem o direito de decdidir da sua vida, sem que ninguém se arrogue o direito de intervir.
    Sempre achei bque a eutanásia e o suicídio são da responsabilidade da própria pessoa. Ninguém tem o direito de (me ) aplicar nem a pena de morte nem a pena de vida em nome das suas crenças!!
    Só que enterrar vivas pessoas(seja de que idade seja e quais forem os motivos) é uma barbaridade que não deve ser permitida de maneira alguma, na minha opinião.

    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  48. SALVOCONDUTO
    E indignado, penso que também
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  49. Meu caro RODOLFO os crimes nuca terão justificação, não é?
    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  50. KARINA
    Estou concordando plenamente contigo, linda!
    Feliz final de semana.

    ResponderEliminar
  51. Gracias Sao.

    Impresionante foto y magnifica cronica.

    Te dejo mi abrazo..

    ResponderEliminar
  52. Cultura é cultura. Até os dias de hoje, em regiões remotas da China, se o primeiro filho de um casal for mulher, é afogado após o nascimento.
    É muito mais chocante - segundo notícias veiculadas com freqüência na mídia, a prática do tráfego de crianças, de mulheres e de escravos pelos espanhóis dos dias atuais.
    Um beijo!

    ResponderEliminar
  53. Sim, considerando estar-se num tipo de cultura dita mais avançada e em que tanto a vida como a liberdade valem por si mesmas, é mais condenável.
    No entanto, para mim, este comportamento cultural ou semelhante deverá ser objecto de intervenção por quem de direito.
    E com esta minha posição não estou desrespeitando a cultura de quem quer que seja nem justificando ou branqueando os actos horrendos praticados pelas culturas auto-consideradas superiores.
    E como alguém disse aí atrás, há muito a modificar em nós próprios para que sirvamos de exemplo. Que é a melhor pedagogia, sem dúvida.
    Um feliz fim de semana, meu caro Oliver!

    ResponderEliminar
  54. RICARDO TRIBIN
    Muchas gracias, caríssimo.
    Mas a foto não fui eu que a tirei.
    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  55. SILVANA
    Pois...
    Como seria?
    Feliz Dia da Galiza.

    ResponderEliminar
  56. JRD
    Todas as civilizações e culturas são eivadas de erros gravíssimos e contradições entre os valores que defendem e aquilo que praticam, pois todas elas são construídas por seres humanos.
    Mas não é descabido ir denunciando aquilo que, paranós e naquele momento histórico, nos parece inconcebível.
    Feliz fim de semana.

    ResponderEliminar
  57. MARIZ
    Bem vinda!
    Eu creio na reencarnação, no karma e na evolução da espécie humana.Aliás, só assim é possível crer numa entidade superior que nos transcende infinitamente.
    No entanto, embora haja uma parte punitiva no karma, nem tudo quanto a pessoa sofre é explicado por isso.
    E mesmo que estas crianças estejam colhendo o que semearam em anteriores vidas, levantarei a voz para as defender.
    Espero ter o gosto de a receber aqui mais vezes.
    Ah! e onde é o desafio que desconheço?!
    Um fim de semana com paz.

    ResponderEliminar
  58. Eu ainda conseguiria aceitar o ritual se não enterrassem as crianças vivas!!

    Ele há tanta coisa estranha por este planeta fora...


    LUIZ

    ResponderEliminar
  59. Estamos de acordo.
    Não sou contra a eutanásia nem, contra o suicidio, sou contra a crueldade.
    E se posso fazer um exercício de empatia com quem pratica o ritual, é.me completamente impossível entender quem consegue ver com os seus próprios olhos enterrar uma criança viva e justificar(-se) a cumplicidade num assassinato destes !!
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  60. É óbvio que o contato progressivo com a civilização, dos índios pertencentes à tribo que mencionou, por certo resultará no fim destas práticas terríveis.
    Este povo, antes do recente contato com a civilização, vivia, em equivalência, na Idade da Pedra Polida.
    De fato, a legislação brasileira tornou o índio brasileiro inimputável. Circunstância a qual sou contrário, se relativa aos índios aculturados os quais já convivem com o população em geral.
    Assim como o canibalismo em tempos remotos, com certeza estas práticas citadas no seu artigo estão destinadas ao fim.
    O debate é sempre saudável. Tem a minha admiração por franquear o seu espaço a opiniões contrárias.
    Um beijo e um ótimo fim de semana.

    ResponderEliminar
  61. Meu caro Oliver, só com claro debate de ideias e argumentos avançamos.
    Aliás, uma das coisas que me afastou definitivamente do catolicismo foi a existência de dogmas.
    Bem haja!

    ResponderEliminar

"BENVEGUT AQUÈL QUE NOS VEN MANS DEBÈRTAS"
(Saudação Cátara)

Arquivo do blogue