domingo, março 13, 2011

"MI PUEBLO"


Un perro duerme manso su sueño sin sueños

mientras el sol que cae a plomo sobre las calles sin dueño...

El ruido del silencio solo es quebrado por algún mugido lejano...

Y la estación discreta, fresca e impecable

conservando aún la balanza de granos, el telégrafo y el molino...

Cielo azul serrano con nunbes ausentes y un sol implacable...

Olores inolvidables de las flores cuidadas en veredas enormes...

Los pocos comercios cerrados respetando la siesta

Y nuestras almas libres...

libres...

Toda la vida por vivir,

todos los sueños por cumplir,

ningun dolor que llorar...

Sólo paz,

soledad,

belleza inmaculada y virgen.

Fresca brisa de la tarde naciente bajando de las sierras

por caminos de piedras,

trayendo el aroma exquisito de los valles cercanos...

La puerta entreabierta de la vieja Capilla

y Diós esperando las visitas aisladas...

El boulevar impecable...

Las casas alienedas con ladrillos expuestos

y humedades ausentes.

Mi pueblo tan sentido...

mi tesoro añorado...

Desde  el cemento agressivo de la ciudad en que vivo

te evoco como siempre

se evoca lo querido.

RODOLFO   N.
( 2/2/ 2011)


MUCHAS GRACIAS, QUERIDO AMIGO!!

48 comentários:

  1. Também acho e , por isso, o partilhei.
    Fique bem.

    ResponderEliminar
  2. Sé de un lugar assi...

    http://www.youtube.com/watch?v=HcWY3ClZuSY&feature=related

    (uma prenda...)

    ;)

    ResponderEliminar
  3. Unha doce lembranza dos tempos pasados.
    A melancolía sempre ten poesía.

    Unha aperta.

    Antón.

    ResponderEliminar
  4. En esa evocación hay toda una vida.
    Besos, querida amiga.

    ResponderEliminar
  5. Oh! Não consigo perceber tudo, mas o que percebi achei lindo!
    No fds já peço ao meu tradutor particular:)

    bji gde, minha querida amiga

    ResponderEliminar
  6. Oi São.
    Sorry, só entendo três línguas - português, gauchês e porto-alegrês- e tô com preguicinha de acessar o google tradutor (tá quase na hora de sair para jantar). Perdoa, tá?

    Beijo e boa semana.

    ResponderEliminar
  7. PS: abandonei momentaneamente a preguiça e encarei o poema. Supresa: entendi quase tudo. E gostei. A universalidade do tema rompeu a barreira do idioma. Lembrei da Macondo de Gabriel e da Pasárgada de Manuel.

    Bj.

    ResponderEliminar
  8. Depois de recorrer ao tradutor, percebo que é bem bonito!
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Poucas terão sido as vezes que tive oportunidade de ler poesia em castelhano. Gostei.
    Cumps

    ResponderEliminar
  10. mi pueblo! lindo, minha xará querida!
    estaré en saragoza dentro de días... y barcelona me espera!
    después... andorra, me encantará la nieve una otra vez, este año!
    beijinhos
    (como vais tu, minha irmã? recomposeram-se as "coisas"...?)

    ResponderEliminar
  11. Querida São; lindo demais! Saudade, suavidade, beleza, tudo passa nesse belo poema...
    Beijos

    ResponderEliminar
  12. No todo um entendível bonito.

    Abraço, zogia

    ResponderEliminar
  13. Olá OOPS!

    Agradeço a prnda , que verei quando cheagar a casa, rrrs

    Abraços

    ResponderEliminar
  14. Viva. ANTÓN!

    A melancolia pode suavizar a dor, por vezes.

    Apertas.

    ResponderEliminar
  15. Querido PEDRO. comcordo.
    Abrazos

    ResponderEliminar
  16. Peça. querida: vale a pena.
    Beijinhos fafenses.

    ResponderEliminar
  17. A si, perdoo tudo, JENS.
    Abraço

    ResponderEliminar
  18. Muito bonito.
    E utópico: "Toda la vida por vivir,
    todos los sueños por cumplir,
    ningun dolor que llorar...
    Sólo paz,
    soledad,
    belleza inmaculada y virgen."
    beijos.

    ResponderEliminar
  19. Querida amiga, que orgulloso me siento de saber que unas humildes letras han llegado a tu corazón, en la semblanza de los momentos vividos...
    Tu pueblo, mi pueblo, son un racimo de bellos recuerdos enmarcados en la memoria.
    Gracias por tanto honor...mil gracias, realmente me sorprendió tan alegremente...!
    Besos!

    ResponderEliminar
  20. Sempre... a nostalgia das origens. A busca de coito no ventre das memórias.

    Saudades!

    Abraço grande

    ResponderEliminar
  21. Querida Amiga São....escolhi você para dar continuidade na Quadragésima.com 2011...
    Aguardo sua resposta. Beijos. mari.

    ResponderEliminar
  22. convite no meu blogue:))))

    ResponderEliminar
  23. Precioso, absolutamente precioso el texto.

    Gracias querida Sao por divulgarlo.

    Un beso y un abrazo.

    ResponderEliminar
  24. O meu pueblo é zona dormitório de Lisboa, o que torna mais fácil apreciar poesia, não há nada como um carro a arder ou um estendal ao alcance da mão. good weekend

    ResponderEliminar
  25. Amiga, onde estás?!!!?
    :)) Queria muito saber se pode dar seguimento no post, é rapidinho, mas somente se puder....beijos, com amor, mari.

    ResponderEliminar
  26. saudades de você minha querida amiga
    beijos

    ResponderEliminar
  27. Minha querida amiga; que seu fim de semana seja repleto de realizações, paz e saúde!
    Beijos

    ResponderEliminar
  28. Querida amiga São,

    Quanta beleza neste poema! Uma descrição bucólica e apaixonada. Lindo demais. Obrigada, amiga.

    Carinhoso beijo

    ResponderEliminar
  29. Uma pessoa sensível como a minha querida amiga, só poderia gostar!

    Uma feliz semana.

    ResponderEliminar
  30. LUCINHA, minha amiga, agradeço e retribuo seu voto, de coração.
    BEm haja!

    ResponderEliminar
  31. Que são retribuídas, meu querido SERGINHO.
    Uma feliz semana.

    ResponderEliminar
  32. Parabéns por ter vencido a preguicinha e entender assim a beleza do poema, meu caro.

    Feliz semana lhe desejo, JENS.

    ResponderEliminar
  33. Olá , LILA!

    EU como consigo entender o castelhano e o francês, prefiro ler no original....particularmente quando se trata de poesia.

    Boa semana.

    ResponderEliminar
  34. Talvez passe a ter mais, rrss

    E gostei que lhe agradasse.

    Boa semana, GUARDIÃO.

    ResponderEliminar
  35. Mana, fico muito feliz por ti e por essa viagem linda, que te desejo corra muito bem.

    O resto está tudo igual...e acho que ainda vai pioraar.

    Espero que contigo as coisas estejam bem melhor!

    Um abraço apertado, linda.

    ResponderEliminar
  36. Também acho que sim, que esse poema tem um enorme leque de emoções, minha amiga.

    Boa semana, LUCINHA.

    ResponderEliminar
  37. Zoginha, a mim também me parece ser fácil apanhar o sentido do poema...
    Uma feliz semana, linda

    ResponderEliminar
  38. FILOXERA, quando estamos na infancia toda a vida nos espera, não é?

    Um abraço

    ResponderEliminar
  39. RODOLFO, querido amigo, nada tens a agradecer-me!

    Eu é que fico muito honrada e feliz por ter podido enriquecer esta espaço com uma poesia tão formosa como a tua e que nos chega tão dentro.

    Por isso, te abraço co gratidão e estima.

    ResponderEliminar
  40. A nostalgia das raízes tem uma enorme profundidade nos nossos corações, sem dúvida...e Rodolfo falou disso muito bem!

    Beijinhos, Irmão e Amigo.

    ResponderEliminar
  41. Lá irei, MARI...
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  42. Logo quer me seja possível, itrei até lá, sim?
    Beijinho, mARi

    ResponderEliminar
  43. Muchas gracias por tu aprecio, querido RICARDO.

    Feliz semana.

    ResponderEliminar
  44. Pobrinho, como lamento esse teu estado de vida em dormitório...

    Beijinhos consoladores.

    ResponderEliminar
  45. MARI, minha amiga, grata por teu convite, que não tenho tempo para dar seguimento.

    No entanto, continuo rezando a Deus para que traga luz e paz às pessoas que o amam e que mostre o caminho a quem ainda o não encontrou!

    Bem hajas, querida!

    ResponderEliminar

"BENVEGUT AQUÈL QUE NOS VEN MANS DEBÈRTAS"
(Saudação Cátara)

Arquivo do blogue