quinta-feira, abril 30, 2015

terça-feira, abril 28, 2015

O GENOCÍDIO ARMÉNIO

Em Abril de 1915, morreu milhão e meio de pessoas arménias às mãos dos Jovens Turcos, que queriam modernizar a Turquia.

A Arménia tem uma História rica e complexa onde se misturam civilizações e povos diversos.

Recentemente o Papa Francisco afirmou que esta matança desenfreada pela fome, pelas armas, pelo frio, foi o primeiro genocídio do século XX.

A Turquia , que não admite este crime e persegue os próprios nacionais quando levantam a voz para dizer  a verdade, reagiu  muito mal, como se percebe.

Eu ainda posso entender as duras palavras de Erdogan, mas não as do português Orlando Raimundo que na SIC-Notícias criticou Francisco acerbamente pelas , para ele, muitas asneiras que tem dito e porque não valia a pena referir um facto acontecido já há um século.

Sendo assim, a memória histórica  desapareceria - incluindo as barbaridades do nazismo, de Pol Pot, de Estaline , dos EUA.

Na aldeia de Marash, os homens foram encerrados numa igreja e queimados vivos em 24 de Abril de 1915. Acrescento que a Arménia é o país que mais cedo adoptou o cristianismo.

Se um horror destes não é genocídio , não sei o que seja.

Muito  grave é o Jermag( o genocídio branco) , isto é, a diáspora arménia  deixar de falar a língua, abandonar o nome étnico e esquecer as origens.

Sobre o tema a RTP II transmitiu há dias o interessantissimo documentário "Artménia" , originado pelo Requiem de Mansurian.

Aí pudemos ouvir e ver pessoas comuns e artistas como o escritor Charents, Jordi Savall, Komitas Quartet, Martiros Saryan.

Comovente a multidão e as flores junto ao Memorial do Genocídio com a sua chama eterna.

Seria  excelente o reconhecimento do genocídio pela Turquia e o respectivo pedido de desculpas, para que os dois povos pudessem conviver sem mágoas e assim avançarem.

Esperemos que  a Turquia ( e também Israel perante os palestinianos) reconheça o seu crime e consiga pedir perdão às vítimas!

sábado, abril 25, 2015

ABRIL E LIBERDADE

25 de Abril  de 1975!

Pela primeira vez , o povo português acedeu às urnas para eleições livres e assim escolher quem governaria o país.

Pela primeira vez também, as mulheres puderam exercer um direito legítimo e fundamental que a ditadura de Oliveira Salazar e Marcelo Caetano lhe tinha negado : o de votar.

A percentagem de votantes, que fizeram filas enormes desde muito cedo às portas das assembleias de voto, ultrapassou os 90%.

As Forças Armadas , cujo golpe derrubara o regime em 25 de Abril de 1974, cumpriam a sua promessa de permitir eleições .

O Partido Socialista foi o vencedor e a Assembleia Constituinte começou o seu trabalho.

A qualidade d@s deputad@s era muito grande e todas as classes  estavam representadas.

O sonho e a esperança andavam de mãos dadas e o Futuro era nosso .

Tudo nos parecia possível, apesar dos riscos e da confusão por vezes reinantes.

Passados que são quarenta anos, lamentavelmente a qualidade dos políticos diminuiu substancialmente e as políticas seguidas por quem foi eleito são feitas não para defender o povo português , mas sim para o esmagar impiedosamente sob uma carga brutal de impostos - com cada vez menos resultados de serviços públicos correspondentes e uma qualidade a raiar a nula.

O mais preocupante é tudo isto resultar , de maneira errada, numa abstenção  cada vez maior, pois lamentavelmente as pessoas afastam-se e acabam por entregar sem sequer lutarem as suas vidas e o país nas mãos de quem mente e defende exclusivamente os seus interesses e os dos Senhores do Mundo .

Pessoalmente, considero uma tremenda falta de gratidão  para com quem deu a sua vida, por vezes literalmente, para que pudéssemos viver em liberdade. Particularmente   nós, mulheres. 

Além disso, quem se demite perde direito ao protesto. 

Veremos  como vão ser as próximas eleições legislativas , inquinadas que estão por aproveitamentos políticos de casos de polícia, e sendo o actual Governo useiro e vezeiro em comportamentos absolutamente censuráveis pela mentira e pela irresponsabilidade, mas que beneficiou os poderosos .

Portugal é o mais antigo país da Europa e não podemos permitir que o estrangulem até à sua desaparição completa.

Que as pessoas reflictam bem na decisão que  vão tomar e o façam conscientemente, seja ela qual for!

quarta-feira, abril 08, 2015

CITAÇÃO - HOWARD ZINN

"Onde quer que se tenham alcançado progressos e se tenha derrubado toda e qualquer forma de injustiça, tudo se ficou a dever a pessoas que agiram como cidadãos, e não como políticos.

Não se limitaram a queixar-se.

Trabalharam, agiram, organizaram-se, revoltaram-se se necessário para chamar a atenção dos poderosos para a sua situação.

E é precisamente o que temos hoje a fazer!"


                                                                           HOWARD  ZINN

NOTA:
Porque ando a efectuar exames e tratamentos médicos, regressarei só em 25/4/2015.
Abraço caloroso  vos deixo.

segunda-feira, abril 06, 2015

Arquivo do blogue